Um vídeo com imagens do que seria um ataque de helicópteros norte-americanos a um acampamento de terroristas do Estado Islâmico voltaram a circular nas redes sociais.

As cenas impressionantes teriam sido gravadas em 2014, de dentro de um helicóptero Apache, usado nesse tipo de conflito pelas forças militares dos Estados Unidos e de seus aliados.

São mais de três minutos de bombardeios noturnos. Pelo visor do helicóptero é possível ver do alto, e com detalhes, cada alvo sendo literalmente mandado para os ares. Identifica-se facilmente homens correndo para tentar se salvar dos explosivos e das rajadas.

Apesar da fumaça, os militares têm ampla visão.

Publicidade
Publicidade

Em determinado momento é possível ver até mesmo um homem se rastejando no chão, talvez ferido por estilhaços. Ele vira novamente alvo e desta vez parece não ter se salvado.

Em outra ocasião, um homem corre desesperadamente para tentar se abrigar e é perseguido por explosivos a poucos metros de distância. No final do vídeo, faltando 14 segundos, um homem é atingido em cheio e chega a ser deslocado com a força do ar liberado pela explosão desencadeada pela ofensiva aérea.

A cada rajada disparada, o visor do helicóptero treme, em função do impacto das armas em operação.

Nos comentários do post publicado em algumas páginas do Facebook, muitos internautas sugerem que o mesmo “método” de negociação seja implementado contra criminosos e bandidos no Brasil. Outros dizem haver semelhanças das imagens com os gráficos utilizados em alguns jogos de vídeo game, como o Cal of Duty.

Publicidade

“Jogo pensando que estou abatendo os terroristas”, escreveu um internauta.

Ofensivas

As ofensivas americanas estão novamente na ordem dos dia nas mídias de todo o mundo depois que o presidente Donald Trump ordenou que a Marinha dos Estados Unidos lançasse, na última quinta-feira (6), um bombardeio contra a base de Shayrat, em Homs.

O local uma das principais bases da força aérea de Bashar al-Assad e foi atingido como uma resposta ao ataque químico realizado em Khan Sheikhun, província de Idlib, que matou centenas de inocentes, entre eles mais de 20 crianças.

A situação agravou por completo as tensões em torno da #Guerra civil Síria, que em nos últimos 6 anos matou centenas de milhares de civis e gerou aproximadamente 5 milhões de refugiados.

O bombardeio foi feito a partir de dois navios de guerra que estavam posicionados no Mar Mediterrâneo. Ao todo 59 mísseis Tomahawk foram lançados contra a base de Shayrat.