A #Morte é um tabu para muitas pessoas. Só que na Indonésia isso é simplesmente o cotidiano das pessoas.

Se alguém te convida para tomar um chá com "alguém da família", pense duas vezes antes de aceitar. Ao menos até ter certeza de que a pessoa realmente está viva.

Ou você poderá se deparar com um corpo inerte, cinzento, cheio de buracos feito por insetos e coberto por roupas.

Não é raro ouvir a pergunta das crianças, sobre o vovô ou a vovó que está sempre dormindo (mas na verdade está 'mortinho da Silva').

Cadáver embalsamado

Para egípcio nenhum colocar defeito, a região de Tana Toraja, na ilha de Sulawesi, na Indonésia, tem uma tradição um tanto centenária (e bizarra), onde os mortos participam mais da vida em "sociedade" do que os vivos.

Publicidade
Publicidade

Lá nessas terras, depois que alguém morre, o que para nós é o velório, ocorre apenas após meses ou até anos. Até que o enterro aconteça as famílias dos falecidos deixam os corpos ali, dentro de suas casas, levando, inclusive, bebidas e comidas para os mortos, ao menos duas vezes por dia!

Os indonésios levam isso muito a sério: os mortos têm até uma espécie de banheiro para fazer o "número 1 e 2", bem como as luzes são acesas durante a noite. As famílias pensam que se não cuidarem bem dos mortos, eles poderão voltar para assustá-las!

As famílias temem que, se não cuidarem dos corpos de forma correta, os espíritos podem voltar para assombrá-las.

Antigamente, a população usava folhas e ervas para preservar os mortos (hoje em dia é usado o formol mesmo).

Funeral

Os indonésios que mantêm essa tradição fúnebre são chamados de Torajans, que são um grupo étnico quase indígena que mora nas montanhas da localidade.

Publicidade

A finalidade da vida dessas pessoas é acumular riquezas. Mas não para viver luxuosamente e sim para morrer com "dignidade" (ao menos na visão deles).

Para esse povo, os funerais são eventos em que a alma deixa a Terra e inicia uma longa jornada para o que eles chamam de Pooya (o que seria a "vida depois da morte", com a reencarnação da alma).

Dinheiro na poupança

Contudo, os indonésios Torajans passam a vida economizando para seus funerais, que podem custar aproximadamente US$ 50 mil (R$ 155,6 mil).

Enterro

Os Torajans geralmente são enterrados em montanhas (quase nunca debaixo da terra) e muitas vezes seus corpos (e ossos) ficam expostos, aguardando a visita de algum parente.

Raridade

No entanto, com o cristianismo, muitos Torajans deixaram os seus costumes sobre velórios.

Pareceu estranho ou bizarro para você? Saiba que para os Torajans essas práticas são mais importantes que a própria vida e são um momento bem especial. #Internacional #2017