Raudha Athif foi capa da revista #Vogue Índia e chocou o mundo, quando apareceu morta, em seu dormitório, no Bangladesh, na quarta-feira da semana passada (29). Inicialmente, as primeiras suspeitas apontavam para que a jovem #estudante de medicina e modelo das Maldivas teria se suicidado. Porém, menos de uma semana depois, é o pai da jovem de 21 anos quem vem negar essa versão de suicídio.

Mohammed Athif diz que a filha não se matou, mas que foi assassinada no seu quarto de uma forma que parecesse suicídio. "Tenho provas", disse o homem, na sua conta de Twitter em um post feito nesta terça-feira (4).

O pai de Raudha, Mohamed Athif, que é médico, disse que, apesar de sua filha ter sido encontrada pendurada no seu quarto, que estava trancado por dentro, ele tem certeza que ela foi assassinada supostamente por extremistas.

Publicidade
Publicidade

A jovem era muçulmana e alguém do regime não estaria aceitando bem as fotos da beldade sem usar as vestes islâmicas, segundo seu pai.

Já antes do pai declarar sua opinião, também um irmão de Raudha já havia falado que era mentira que ela havia cometido suicídio, e que tudo não passou de uma encenação. Os resultados da autópsia indicaram que a jovem se suicidou, mas o irmão Rayyan Athif, disse ao jornal britânico The Sun que os extremistas estavam por trás de sua morte.

Para ele, a #modelo foi vítima por defender as pessoas intimidadas sobre suas questões religiosas. O jovem relembrou a série de assassinatos que estão acontecendo no Bangladesh, e que todos parecem suicídios.

Publicidade

Porém, a família não duvida que são os extremistas islâmicos que estão por trás dessas atrocidades. A jovem já estaria sendo perseguida, por causa de suas roupas, consideradas anti-islâmicas.

Dentro da faculdade, onde estudava medicina, ela colocava um véu cobrindo o seu rosto, mas estava sendo criticada por usar jeans repetidamente. Semanas antes de morrer, Raudha havia falado para a família que alguém teria colocado pílulas para dormir em sua bebida.

A família critica ainda o relatório da autópsia por terem ignorado algumas marcas que Raudha apresentava em seu pescoço, que poderiam ser sinal de agressões. Porém, os legistas anotaram como "marcas de nascença", o que a família nega.

A investigação vai continuar, uma vez que a família quer provar que Raudha foi mesmo assassinada e exige justiça para quem matou a beldade.

Publicidade

Uma policial responsável pelo caso disse que havia "uma chance de 50%" que a menina não teria cometido suicídio.

No hostel onde a menina estava instalada foi um choque imenso. Até a responsável pelo espaço ficou incrédula com a versão de suicídio, revelando que Raudha "parecia sempre tão feliz" e rodeada de amigos. Segundo ela, que nenhum deles poderia suspeitar que ela colocasse um final na própria vida.

Raudha ficou famosa quando foi capa da revista Vogue, uma das principais publicações de moda de todo o mundo. A jovem encantava pelos seus olhos cor de água, que se realçavam na sua pele morena.

Uma beleza invulgar, que lhe valeu vários trabalhos na moda. Apesar disso, o foco da menina era se formar em Medicina, como seu pai.