Publicidade
Publicidade

Esta semana um vídeo viral chamou a atenção de todos ao mostrar um cachorrinho andando só com as patas traseiras, como se fosse um ser humano. O cão anda em pé vestida com um top branco, calça e mochila, ao longo de uma rua na China. O #Cachorro anda tão naturalmente que é algo incrível de se ver em um animal.

O vídeo se tornou algo muito curioso, mas, ao procurar saber se é algo verdadeiro ou falso, infelizmente, foi descoberto que é real. A história dos adoráveis ​​cães que andam nas patas traseiras é verdadeira, mas para conseguir tal habilidade, há histórias terríveis de abuso com os animais.

O site americano BuzzFeed rastreou as contas de redes sociais da China onde este vídeo saiu e descobriu que existem vários conteúdos postado onde mostram cães andar como se fossem humanos.

Publicidade

A rede social chinesa Weibo, que funciona como o Twitter, descobriu uma conta chamada “Viral Smol Bean Small”, onde vídeos e fotos de caninos andando com duas patas são publicadas.

Mas isso não é tudo. Eles também descobriram alguns vídeos em que estão ensinando aos donos de cães para treiná-los a andar sobre as patas traseiras. O que é mostrado nesses vídeos tutoriais é muito violento.

Em um clipe, parece que um dos cães é ameaçado e espancado com um chinelo. Em outro vídeo é possível ver o dono colocar o cachorro com o corpo na posição ideal e quando o animal se move, ele bate forte. Assim, os vídeos dos cães que andam em pé não são falsos, mas, para conseguir tal façanha, eles são maltratados.

O vídeo que viralizou em todo o mundo essa semana, como pode ser visto abaixo, recebeu em apenas uma página no Facebook onde foi postado quase 30 mil compartilhamentos e 19 mil curtidas, além de ter sido visualizado mais de 1,2 milhão de vezes até a publicação deste artigo.

Publicidade

Casos como esse de maltratar animais podem ser denunciados no Brasil. Os maus-tratos a animais é crime, segundo a Lei Federal 9.605/98, que trata dos Crimes Ambientais. As denúncias podem ser apresentadas na delegacia de polícia mais próxima, registrando-se um boletim de ocorrência (BO).

O denunciante também pode procurar a Promotoria de Justiça do Meio #ambiente mais próxima. Os casos de maus-tratos ou abuso a animais pode ainda ser denunciado ligando para o Dique - através do número 181. Caso prefira, pode se manter anônimo.

É possível denunciar também ao órgão público competente do município, no setor que responde aos trabalhos de Vigilância Sanitária. #MausTratosAosAnimais