Atos de violência sexual contra adolescentes sempre chocam. E choca mais ainda quando os próprios agressores são pessoas da mesma família, que têm o dever de protegê-los, de cuidar e dar amor. Mas, infelizmente não foi isso que aconteceu com uma adolescente de 15 anos, que foi abusada sexualmente por vários anos pelo seu pai e um amigo dele. Felizmente, hoje, ambos estão pagando pelos seus crimes atrás das grandes.

Entenda como tudo aconteceu.

Dois homens que estão presos acusados de estupro de vulnerável foram julgados na última quinta-feira (24), na cidade de Ikeja, em Lagos, na Nigéria. Os acusados foram identificados como Yusuf Oriyomi, de 38 anos, que é padeiro e também é pai da vítima e Idowu Ayigoro, de 42 anos, que é amigo do pai da vítima, ambos são moradores de Oworoshoki, no subúrbio de Lagos.

Publicidade
Publicidade

A vítima é uma adolescente de 15 anos.

Conforme informações divulgadas pela polícia, a vítima relatou que foi abusada sexualmente pela dupla, pelo menos, por cinco anos. Ambos os acusados foram julgados pelo mesmo #Crime de violência sexual contra uma menor de idade. Conforme informações do procurador, Clifford Ogu, a jovem relatou que os abusos sexuais começaram no ano de 2012 e continuaram até abril de 2017 em Oworonshoki, quando o crime foi denunciado e os acusados foram presos pela polícia local. Ainda, de acordo com Clifford Ogu, a vítima foi violentada sexualmente pelos acusados em diferentes ocasiões, sempre do mesmo jeito, ambos se revezavam para violentar a adolescente.

Segundo o promotor, em certa ocasião a mãe da vítima havia viajado para uma aldeia próximo ao local onde eles moravam.

Publicidade

E nesta noite o pai da jovem acordou a vítima no meio da noite e começou a tocar em suas partes íntimas. Conforme o promotor, quando a mãe da jovem voltou para a sua casa ela criou coragem e contou que estava sendo vítima de violência sexual pelo pai e pelo amigo dele.

"Quando a mãe da menina chegou, a jovem contou a ela como o pai e o amigo de seu pai a estuprava há cinco anos. Por isso, o caso foi denunciado na delegacia de polícia pela mãe e ambos acusados foram presos", disse o promotor Clifford Ogu. Segundo informações divulgadas por meios de comunicação, ambos os acusados negaram todas as acusações. O magistrado Chefe, a Sra. Taiwo Akanni, por sua vez concedeu que ambos podem responder pelo crime em liberdade, desde que ambos paguem uma fiança de R$ 2,500 reais cada um. O magistrado deve encerrar o julgamento até 28 de junho, onde ambos serão julgados novamente. #Investigação Criminal #Casos de polícia