Um adolescente foi preso pelas autoridades acusado de um assassinato na cidade de Dugri, na Índia. O acusado, de 16 anos, assassinou a vítima, identificada como Deepu Kumar, de apenas 9 anos. Conforme informações da polícia, a vítima foi assassinada e esquartejada em seis pedaços. O suspeito disse à polícia que ainda comeu a carne e bebeu o sangue da vítima.

Segundo informações repassadas pela polícia, a vítima tinha desaparecido na quinta-feira (24). Seu corpo decapitando foi localizado um dia após o seu sumiço, em um terreno baldio na localidade. Ainda de acordo com a polícia, tanto o suspeito quanto a vítima são filhos de trabalhadores imigrantes e ambos moram na mesma região.

Publicidade
Publicidade

Segundo a polícia, o suspeito após cometer o #Crime voltou para a sua casa como se nada tivesse acontecido. Até mesmo fez comida para seus pais, pois os mesmos estavam visitando o seu irmão mais velho na cidade de Chandigarh.

A polícia chegou até o acusado após examinar imagens de câmeras de segurança do local onde a vítima havia desaparecido. Nas imagens apareceu a vítima junto com o acusado. Por sua vez, a polícia prendeu o adolescente e o encaminhou a delegacia da cidade para prestar o seu depoimento. Conforme consta em seu depoimento, ele confessou ser o autor do crime, relatando que além de ter assassinado o menino, ter comido a carne e bebido o sangue da vítima.

"Este é um caso de canibalismo como o menino anseia pela carne humana. Ele nos disse que ele muitas vezes quer comer frango cru.

Publicidade

No dia, ele ainda desejava comer seus próprios membros", disse Bhupinder Singh, porta-voz da polícia.

Ainda de acordo com o seu depoimento, ele relatou que por volta das 13h40 de quinta havia chamado a vítima para a sua residência com o pretexto de lhe dar corda de pipa. Segundo ele, seus pais estavam ausentes. Então ele matou o garoto enforcado, em seguida, esquartejou o corpo da vítima em pedaços com uma ferramenta de jardinagem. Logo após cometer o crime, o corpo da vítima foi colocado em sacos plásticos e levado em sua bicicleta e jogado em um terreno baldio.

Conforme informações, o suspeito tinha arrancado o coração do garoto e jogado no pátio da escola onde ele estudava. Segundo ele, odiava os professores e queria que eles fossem culpados pelo crime. Após o seu depoimento, ele foi encaminhado à custódia para testes médicos e psicológicos. A polícia recuperou o coração do menino. A polícia abriu um inquérito e o caso está sendo investigado. #Investigação Criminal #Casos de polícia