O #Papa Francisco recebeu, nesta quarta-feira, 24, o presidente americano #Donald Trump, no Vaticano. Trump realizou, pela primeira vez, uma viagem #Internacional e resolveu visitar o berço do catolicismo romano. Após a audiência com o líder da Igreja Católica, Trump afirma ter saído "mais determinado do que nunca na busca pela paz". O encontro aconteceu no escritório do Papa e durou quase meia hora, onde os mesmo estavam acompanhados somente por um intérprete. "Honra única na vida encontrar Sua Santidade O Papa Francisco. Deixo o Vaticano mais determinado do que nunca a buscar a Paz em nosso mundo", afirmou Donald Trump em sua conta oficial do Twitter.

Publicidade
Publicidade

O pontífice, no vestido papal branco e uma cruz peitoral em uma corrente ao redor de seu pescoço, sentou-se atrás de uma pequena mesa, enquanto Trump, em um terno marinho e gravata listrada, tomou a única cadeira em frente a ele, como em uma entrevista para o emprego. O encontro tinha como objetivo aproximar o líder americano com o líder da Igreja Católica, após uma turbulenta relação entre os dois durante a campanha eleitoral de Trump, já que o pontífice não concordava com o presidente em relação a temas como migração, mudanças climáticas e pena de morte.

Donald Trump estava acompanhado de sua esposa, a primeira dama Melania Trump, que trajava um vestido preto, com o um véu com o cabelo preso.

Publicidade

De acordo com o Portal G1, o líder católico não foi tão amigável como costuma ser ao receber líderes mundiais. Já Donald Trump, parecia um pouco desconfortável no começo, já que teve de ficar esperando por alguns segundos na sala de Santo Ambrósio antes de apertar a mão de Francisco. Foi emitido um comunicado do Vaticano mais tarde, chamando a reunião de "cordial", e expressou esperança com a administração, saúde e assistência aos imigrantes". Para o líder americano, a reunião foi "grande" e "fantástica". "Nós estamos gostando muito da Itália, e foi uma honra estar com o Papa", afirmou Trump.

Com a visita ao Vaticano, Trump encerrou sua missão nesta semana para promover a tolerância entre os seguidores das três religiões mais populares do mundo. Isso faz parte do objetivo de combater o extremismo. Em sua viagem, Trump ainda visitou a cúpula de líderes muçumanos, na Arábia Saudita e se reuniu com líderes israelenses e palestinos, em Jerusalém e Belém. Os líderes mais influentes do Ocidente, Francisco e Trump, possuem ideias divergentes sobre quase tudo, que vão desde os direitos dos migrantes até as mudanças climática.