Certamente, um dos maiores traumas que uma mulher pode ter é passar por uma situação de estupro coletivo. Isso mudou a vida de Gwyneth Montenegro, que nessa terça-feira (16), virou manchete nos principais sites internacionais de notícias. Loira e linda, ela está hoje com 39 anos e ganha a vida sendo acompanhante de luxo. Em entrevista ao 'Daly Mail', Montenegro confirma que já transou em sua vida com mais de dez mil homens. Mesmo assim, a garota de programa revela que é uma mulher que acredita em Jesus Cristo e que tem uma fé bastante acirrada. Não é a primeira vez que essa australiana ganha o noticiário. No entanto, dessa vez, ela contou o porquê virou notícia em todo o planeta e o motivo de sua decisão em virar uma garota de programa de sucesso.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ela, quando tinha 18 anos, ela sofreu um grande trauma. A mulher, que três anos mais tarde entraria para a indústria do cinema adulto, revela que sofreu um estupro coletivo efetuado por oito homens. A situação, de acordo com Gwyneth, foi realizada ao mesmo tempo e por homens de uma gangue local. Após ter sofrido essa moléstia, ela mudou sua vida e garante que não tem vergonha ou arrependimento de qualquer ato que tenha tomado até então. "Eu estava a guardar-me para só ter relações sexuais depois do casamento. Quando aquilo aconteceu senti-me uma mulher sem qualquer tipo de valor", disse a mulher, que hoje conquistou seus bens materiais, justamente, graças à profissão mais antiga do planeta.

Depois que começou a ganhar a vida fazendo programas, não demorou muito para que a australiana fosse colocando ainda mais atividades nesse cardápio.

Publicidade

A mulher começou a realizar shows em casas de strip e teve muitos parceiros. A australiana conta que a primeira vez que foi para cama com alguém por dinheiro se sentiu muito bem, pois achou que esse tipo de relação de troca era bastante justa. Enquanto ela dava o seu corpo, recebia o dinheiro por ele. Como ela foi abusada pelo grupo formado por homens de uma gangue, a mulher afirma que não teve o menor constrangimento de ter realizado a ação. Ela ainda revelou que, quando decidiu mudar de vida, estava se sentindo uma mulher muito suja e que a nova profissão não a incomodou.

A mulher decidiu abandonar o seu segundo sonho, que era ser piloto de avião. Ela até tentou largar à sua profissão, mas por conta de um problema renal, não pôde continuar sendo piloto. A australiana também investiu em outras atividades, mas acabou retornando à indústria das relações íntimas. #Crime