Kyla, uma bebê de apenas um ano ficou com graves queimaduras no seu rosto. De acordo com a #mãe, Rebecca Cannon, de 32 anos, as queimaduras foram provocadas por um #protetor solar que ela usou na menina. Agora, esta mãe canadense está alertando todos os pais para que não usem essa marca de protetor nos seus #Bebês, alertando que a situação que aconteceu com Kyla possa se repetir em outras crianças. Entretanto, ela vai atualizando a recuperação de sua filha, e a menina está evoluindo bem, depois de ter sofrido queimaduras químicas de segundo grau.

A mãe alegou que não poderia imaginar que pudesse acontecer isto com usa filha.

Publicidade
Publicidade

Rebecca aplicou um pouco do spray da marca Banana Boat Kids Sunscreen Spray FPS 50 em Kyla. O resultado foi o pior possível, e a menina teve rapidamente sinais de insolação.

Pouco depois de ter usado o protetor solar, a mãe notou que a menina estava ficando com manchas vermelhas por todo o rosto. Apesar de ter estranhado, ela não suspeitou logo da gravidade da situação. Só na manhã seguinte, é que Rebecca levou a menina no hospital, quando ela acordou com o rosto com bolhas e todo inchado. O primeiro diagnóstico dos médicos apontou logo para queimaduras de segundo grau.

A mãe tentou explicar o que havia sucedido, dizendo para os médicos que a menina estava protegida com protetor solar e com chapéu. Rebecca disse ainda que ninguém mais de sua família havia sofrido essas queimaduras e que todos eles estiveram apanhando sol, como Kyla.

Publicidade

A menina foi a única que ficou com queimaduras e também a única que havia usado esse protetor novo. Rebecca lembrou que ela havia se esquecido de levar o protetor da bebê e quando chegou na praia, ela comprou essa marca para a menina, nem poderia imaginar que iria provocar todos esses danos em seu rosto.

Como o médico que viu a menina suspeitou de uma queimadura solar, ele prescreveu cremes para esse tratamento específico, mas não resultou. Dois dias depois, a menina piorou mais ainda, por estar fazendo alergia também a esses produtos. Rebecca retornou no hospital com Kyla e ela foi reencaminhada para dermatologia. Uma especialista avaliou o caso e viu que se tratava de uma queimadura química, possivelmente provocada pelo referido produto que a mãe aplicou na bebê.

Com a nova medicação, a menina começou a se recuperar e, duas semanas depois, Kyla já mostra sinais de que está bem, e com o rosto bem melhor.

No Facebook, Rebecca compartilhou o sofrimento de sua bebê, de forma a alertar outros pais para que não usem esse protetor solar. Entretanto, Rebecca também contatou a marca Banana Boat, que reembolsou essa mãe e prometeu realizar todos os testes, para entender essa reação na pele da menina e possivelmente alterarem a fórmula utilizada nesse protetor solar.