De acordo com a rede BBC, o britânico Russell Davison, residente de Derby – cidade situada no leste da Inglaterra – revelou que dormiu no mesmo quarto onde se encontrava o corpo de sua esposa Wendy por seis dias, até o momento em que o cadáver dela foi finamente levado para o funeral e a cremação.

Apesar de a história somente ter sido publicada agora, a morte de Wendy Davison aconteceu no mês passado – mais precisamente no dia 21 de abril. Naquela data, a britânica de 50 anos de idade perdeu uma longa batalha de 10 anos contra o câncer de colo do útero.

Russell revelou que ficou com o "coração partido" por causa do falecimento de sua companheira, e não quis que o corpo dela fosse levado para um necrotério.

Publicidade
Publicidade

Com isso em mente, o viúvo decidiu que iria manter a esposa em casa e "desafiar as atitudes em relação à #Morte".

Permissão para um corpo ficar em casa até o funeral

Por mais estranho que possa parecer, o comportamento de Russell tem respaldo na lei britânica, já que não é crime manter um corpo em casa no Reino Unido até o momento do funeral – desde que alguns procedimentos legais e jurídicos sejam seguidos.

A primeira coisa a se fazer para conseguir a permissão é informar um médico clínico geral sobre a morte, e então fazer o registro do óbito em até cinco dias. Após este trâmite, um(a) agente funerário(a) ou enfermeiro(a) precisa lavar o corpo, e se o cadáver for mantido em uma residência por um tempo mais longo, pode ser necessário o seu embalsamamento por causa do processo natural de decomposição.

Publicidade

Como Russell procedeu da forma correta, o tribunal de Derbyshire confirmou o falecimento de Wendy, e o corpo dela pôde permanecer em casa.

Esposa morreu "pacificamente"

Segundo a BBC, Russell Davison revelou que a sua esposa morreu amparada tanto pelos braços dele quanto pelos braços filho do casal, Dylan, e que o cachorro da família, Elvis, também presenciou os momentos finais de Wendy aconchegando-se ao seu lado. O viúvo declarou que a sua mulher faleceu "muito pacificamente" e sem sentir qualquer tipo de dor, uma vez que estava totalmente sedada.

Entretanto, Wendy passou por grande sofrimento enquanto lutava contra o câncer de colo do útero. No ano de 2014, foi dada a ela uma expectativa de vida de apenas seis meses, e em setembro do ano passado, a britânica e seu marido estavam fazendo uma viagem pela #Europa quando ela foi afligida por dores tão fortes que o casal teve que voltar para casa.

Wendy recebeu alguns cuidados paliativos para a diminuição do seu mal-estar no Royal Derby Hospital, mas o casal tomou a decisão de que ela seria cuidada em casa pela própria família, e que seu corpo seria mantido ali até a cremação.

Ainda de acordo com a BBC, Russell afirmou que ter a família e os amigos visitando Wendy durante o tempo em que o corpo dela esteve na residência onde viveu foi uma "experiência bonita e reconfortante". #Curiosidades