Hoje, ao acessar o Google, certamente você notou um desenho estranho (Doodle) na apresentação do buscador. Contudo, essas peças rústicas em destaque no site da empresa intrigam cientistas há séculos.

E justamente nesta data, 17 de maio, é celebrado o aniversário de 115 anos da descoberta dessa geringonça metálica nomeada mecanismo de Antikythera, que estudiosos especulam ser um computador astronômico - veja a capa do Google desta quarta-feira.

De acordo com os sites científicos norte-americanos LiveScience e Space.com, o emblemático objeto foi achado em 1902, pelo arqueólogo Valerios Stais, num navio de carga romano, naufragado no Mar Egeu, perto da ilha grega de Antikythera.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, cientistas acreditam que a misteriosa estrutura, semelhante a uma complexa roda composta por dezenas de engrenagens, foi construída antes mesmo do nascimento de Cristo, no ano de 85, ou até mesmo mais cedo.

Jeanna Bryner, jornalista científica, diretora do conceituado site LiveScience, salienta que o aparelho pode ter ajudado os gregos na compreensão do cosmos.

“Há muito tempo, os gregos poderiam ter girado uma manivela no dispositivo para revelar tudo, desde as posições do Sol e da lua e as fases lunares para os ciclos dos Jogos Olímpicos da Grécia”, comenta.

Além disso, ela ressalta outro aspecto inusitado do mecanismo de Antikythera, ao salientar o uso do instrumento na previsão de eclipses. “Até hoje, historiadores e cientistas continuam a estudar o computador para revelar mais de seus segredos”, declara.

Publicidade

Embora haja poucas informações a respeito do ‘primeiro computador do mundo’, no ano passado, cientistas identificaram um tipo de manual, cujos textos estavam grafados em 82 peças de metal.

“Grande parte do texto grego é ilegível a olho nu, mas com novos métodos de imagem, como a varredura de raios-X em 3D, os cientistas conseguiram visualizar as letras e as palavras que antes estavam escondidas”, explica Jeanna.

Apesar dos estudiosos continuarem debruçados sobre o intricado aparelho, na tentativa de decifrá-lo, somente poucas evidências foram elucidadas.

Até o momento, a única certeza sobre o Antikythera diz respeito à escrita, identificada pelo professor de história da #Ciência na Universidade de Nova York, Alexander Jones, como sendo grego antigo.

Todavia, o insólito dispositivo continua a intrigar os cientistas, que, sem pistas sobre o autor do mecanismo, especulam a utilização do mesmo, usado em épocas remotas, onde a energia elétrica sequer era imaginada. #Mídia #Curiosidades