O caso do #desaparecimento de #Madeleine McCann é considerado um dos maiores mistérios do século. A menina inglesa sumiu em 2007, e muitos rumores surgiram sobre o caso.

Para tentar entender o #Crime e encontrar os culpados, o então detetive português Gonçalo Amaral foi designado como responsável e iniciou insistentes investigações que chocaram o mundo.

No mesmo ano, Amaral foi considerado incapaz de conduzir o caso e afastado das investigações, que passaram a ser lideradas por Paulo Rebelo. Pouco tempo depois, em 2008, o detetive afastado lançou um livro de título “Maddie: A Verdade da Mentira”, em que fez acusações fortes ao casal McCann, pais da criança.

Publicidade
Publicidade

Após uma ação movida pelos McCann contra o inspetor por difamação, o livro foi retirado do mercado e as vendas definitivamente suspensas. Diante da briga judicial, o desaparecimento de Madeleine permanece um mistério.

Enquanto juízes falavam em indenizações milionárias contra danos morais causados aos pais, nada se sabia de fato a respeito do paradeiro da criança até este ano.

No começo de maio, o detetive português, anteriormente julgado como incoerente e incapaz de conduzir as investigações, voltou ao lugar do crime e fez novas acusações contra o casal. Segundo sua mais recente entrevista a um jornal britânico, Gonçalo Amaral disse acreditar que os pais cremaram o corpo da criança e durante o funeral de uma mulher britânica.

Para ele, o crime todo está relacionado à igreja de Algarve, que era frequentada pela família, e está situada na mesma região em que a criança foi vista pela última vez.

Publicidade

Entenda o desaparecimento que chocou o mundo

Madeleine McCann desapareceu em 3 de maio de 2007, de dentro da casa de férias no Algarve, em Portugal. Na época, a menina tinha 4 anos e estava com os irmãos gêmeos mais novos.

Os pais haviam saído, e as crianças permaneceram sozinhas em casa. Segundo relatos, o casal estava a cerca de 100 metros de distância da residência e havia deixado todos os filhos dormindo antes de sair.

Embora os pais tenham checado algumas vezes se as crianças estavam bem, em determinado momento encontraram a cama de Madeleine vazia e uma janela da residência aberta. O caso foi amplamente explorado pela imprensa de todo o mundo.

Todos os jornais acompanharam o caso do desaparecimento. Conforme o mistério ia avançando, a solução se tornava cada vez mais distante.

Durante esse período, o comando do caso mudou de nomes e começaram as brigas judiciais entre os pais e o detetive português Gonçalo Amaral, que muitas vezes apontou o casal McCann como responsável pelo desaparecimento.

Publicidade

Na semana em que o desaparecimento completa 10 anos de mistério, o pai de Maddie, Garry McCann, publicou uma nota dizendo que ainda tem esperanças de encontrar a filha com vida. Em paralelo, o ex-detetive português afirmou ter teorias concretas sobre como o casal omitiu o corpo da filha por todo esse tempo, acusando-os novamente.

Ainda não se sabe o que aconteceu com a criança, mas um novo capítulo se inicia no caso mais nebuloso do século.