Neste domingo, dia 07, o candidato à presidência Emannuel Macron venceu a candidata Marine Le Pen tornando-se o presidente mais jovem da história da França. Com apenas 39 anos, liderará o país pelos próximos 5 anos. Macron já atuou como ministro da Economia e já mostrava muita popularidade nas pesquisas eleitorais. De acordo com os resultados, o candidato obteve 65,1% dos votos, contra 34,9%.

De certa forma, a eleição de Emmanuel Macron desagradou certa parte do povo francês, que acreditava em uma política mais tradicionalista, baseada no conservadorismo. No entanto, o ex-ministro obteve uma vitória impressionante, ganhando de disparada, obtendo sufrágio universal direto, por conta da vantagem majoritária de votos em um mandato de duração de 5 anos.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, a eleição do candidato representa o contentamento de uma grande parcela do eleitorado francês que, de certa forma, não estava sendo representada pelos políticos tradicionais. Os franceses elegeram o oitavo candidato republicano da chamada V República (1958).

Em seu discurso presidencial, Macron afirma: "A França estará na primeira fileira na luta contra o terrorismo". Afirmando que a moralização da vida pública da França será uma de suas prioridades durante o mandato. O centrista declarou que a França estará à frente da luta contra o terrorismo, não apenas em território nacional, mas internacional. Desta forma, priorizando a segurança do país, trazendo otimismo e esperança para o povo francês. Em um segundo discurso que realizou para seu eleitorado, o candidato afirma que não cederá ao medo, à mentira, à ironia, ao amor pelo declínio ou pela derrota.

Publicidade

A líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, assumiu a derrota, mas afirmou que o partido conquistou um resultado histórico durante as eleições, Macron mandou um salve republicano para a candidata Le Pen.

Além disso, o candidato também relatou que irá buscar uma política humanista, lutará contra todos os tipos de discriminação, e irá trabalhar para reconstruir os laços entre a França e a Europa. Também lutará contra o aquecimento global e o terrorismo, assim como irá influenciar positivamente no multiculturalismo do povo francês, de certa forma, irá realizar uma política centrista, evitando todos os tipos de extremismos, ódio ou, até mesmo, de discriminação. #2017