O filho de Osama #Bin Laden, Hamza Bin Laden, atualmente com 28 anos, encorajou extremistas muçulmanos a fazerem ataques isolados, com lobos solitários contra judeus, americanos, o ocidente e até mesmo os russos, em um vídeo divulgado na noite do dia 15. Nas filmagens, Hamza pede que seus seguidores embarquem em missões suicidas e por meios disponíveis. Anteriormente, teria prometido vingança pela morte de seu pai.

Em um vídeo de 10 minutos em árabe com legendas em inglês, também mostra imagens de terroristas em ataques. Bin Laden declara: “Este é um conselho para quem pretende realizar uma operação de martírio”.

"Se você é capaz de utilizar uma arma de fogo, muito bom; Se não, as opções são muitas”.

Publicidade
Publicidade

E acrescenta: "Tome a liderança em infligir danos, atacando a jugular do inimigo e batendo suas articulações".

Depois de uma série de vídeos, estas mensagens de propaganda com o filho de Osama Bin Laden pode ser uma evidência que o grupo está tentando retomar a liderança e buscar apoio global usando a nova geração da família Bin Laden e que Hazma está em evidência no grupo.

O ex-agente do FBI Ali Soufan, responsável por rastrear a Al Qaeda, disse que Hazma está tentando ser como seu pai, copiando e repetindo as mensagens e usando as mesmas terminologias usadas por Osama. Concluiu que Hazma está sendo preparado para assumir a liderança do grupo, desempenhando um papel importante na unificação do movimento Jihad Global.

Segundo Peter Bergen, analista de #Terrorismo global, "ele realmente está chegando ao prato como um novo formato da Al Qaeda".

Publicidade

Para ele "à medida que o ISIS fica menor, para o ISIS, pode ser uma boa ideia aliar-se à Al Qaeda, que agora é uma organização grande na Síria", concluindo que essa é uma combinação letal para o cenário.

Embora a Al Qaeda tenha sido muitas vezes ofuscada pela brutalidade do ISIS, os oficiais dos EUA dizem que a Al Qaeda ainda é uma organização poderosa na região, e continua se espalhando por todo o Oriente Médio.

Hazma estudou a ideologia militante da Al Qaeda durante sua prisão domiciliar no Irã após os ataques terroristas de 11 de setembro. Segundo Soufan, e em uma carta a seu pai, ele estava demonstrando vigor e pronto para "marchar com os exércitos Muajahedins”.

Um oficial de Contraterrorismo dos EUA informou que nos documentos recuperados após o ataque americano contra o complexo de Osama Bin Laden no Paquistão, em 2011, mostram que Bin Laden queria que seu filho se juntasse a ele, mas no momento do ataque, os dois não tinham se reunido, embora o irmão de Hamza, Khalid, estivesse no complexo, e fora morto junto com seu pai.

Publicidade

A contínua agitação e guerras civis em países como a Síria, Somália, o Iêmen e a Líbia tem ajudado o crescimento da Al Qaeda nessas regiões. De acordo com o Centro Nacional de Contraterrorismo, Nicholas Rasmussen, a organização tornou-se “uma rede de afiliados e veteranos treinados pela Al Qaeda, que se espalharam em várias partes do mundo, evoluindo e se mostrando resistente”.

Enquanto o grupo é visto como concorrente ao ISIS para recrutas e recursos, não há garantia de que a rivalidade não poderia ser convertida em parceria, sendo uma forte frente contra as forças de coalizão. #Al Quaeda