O filho mais novo do presidente angolano, José Eduardo dos Santos, foi uma das “estrelas” de um leilão que aconteceu nessa quinta-feira (25), no Festival de Cannes. No evento, apresentado por Will Smith, foram vendidas peças luxuosas e Danilo dos Santos comprou um relógio pelo valor nada baixo de 500 mil euros (R$ 1,8 milhões).

A “proeza” do filho do líder de Angola está causando muita revolta e opiniões negativas nas redes sociais do país.

O leilão aconteceu em Cannes, na França, e foi organizado pela Amfar, uma fundação que participa de pesquisas para tentar encontrar uma cura para o vírus da AIDS. Aquela fundação organiza regularmente esse tipo de eventos como forma de angariar dinheiro para o seu trabalho e, um deles, costuma ser organizado durante a semana do Festival de Cinema de Cannes.

Publicidade
Publicidade

A compra de um relógio pelo valor de 500 mil euros foi registrada em vídeo. Nele, se vê o ator Will Smith apresentando o leilão daquela peça, até que se percebe que quem faz a compra do relógio é Danilo dos Santos, nada mais, nada menos, do que o filho do mais novo do presidente da Angola, José Eduardo dos Santos. O ator americano faz, inclusive, uma piada ao dizer que Danilo não parecer ter a idade de alguém com 500 mil euros no bolso.

Depois de ter sido uma das grandes figuras do leilão da Amfar, o filho do presidente de Angola não ficou nada envergonhado. Ele não hesitou em partilhar várias fotografias suas com a sua nova compra, o relógio muito sofisticado da marca Franck Muller. As fotos que partilhou e o vídeo da cerimônia começaram de imediato ser partilhadas nas redes sociais. Os compartilhamentos, no entanto, estão sendo acompanhados de críticas e frases revoltosas pelo fato de Angola ser um país com milhões de pobres.

Publicidade

Reportagem polêmica confirma pobreza em Angola

Uma reportagem do canal de televisão português SIC, emitida no final de 2016, causou grande insatisfação entre as autoridades angolanas. Naquele trabalho jornalístico, foi revelado que Angola é um país com uma das capitais mais caras do mundo, mas que, ao mesmo tempo, tem 20 milhões de pessoas vivendo em pobreza extrema.

A mesma reportagem revelou dados impressionantes que mostram uma enorme diferença entre as classes mais altas e o povo angolano. Por exemplo, aquele país africano tem um dos maiores consumos de champanhe do mundo: são vendidas 240 mil garrafas por ano, quase todas na capital Luanda.

Essa reportagem da SIC causou muito mal-estar no governo angolano, que criticou e negou os dados revelados pelo canal de televisão português.

O que você acha dessa compra por parte do filho do presidente de Angola? Acha que existe cada vez mais uma diferença entre os mais ricos e os mais pobres? Escreva a sua opinião nos comentários! #Polêmica #luxo #Celebridades