Deanha Neely, de 32 anos, assassinou Derek Taylor, 71, com um martelo e um machado para conseguir uma quantia de quase 200 mil reais do amante. Após o #Crime, descrito em tribunal como "cruel e calculista", ela deixou um recado motivacional: "Ir no banco e que comece a diversão". A jovem era garota de programa e viciada em #drogas, e teria cometido esse crime em Lancashire, na Inglaterra, para pegar o dinheiro de Derek, um senhor já de idade.

A polícia encontrou o corpo de Derek duas semanas após o crime. Durante esse tempo, a jovem tentou confundir os amigos e familiares passando-se por ele no Facebook e dando a entender que Derek estava tranquilo em sua casa .

Publicidade
Publicidade

Ela disse ainda que estariam em uma viagem e que ficariam ausentes durante alguns dias, para que ninguém suspeitasse da ausência do amante.

O tribunal revelou que a jovem já havia gasto parte do dinheiro em droga e estaria fazendo compras em lojas de departamento como Primark.

A história

O casal se tornou amigo e, pouco depois, Derek convidou a jovem para viver com ele em seu trailer, estacionado dentro de uma unidade industrial em Blackburn. Ele sabia que ela era viciada em heroína, mas acreditava que conseguiria ajudá-la a se libertar do vício.

O promotor de justiça Guy Gozem descreveu o caso no tribunal, afirmando que Neely não tinha um tostão e que ele era um "velho solitário", acostumado a recorrer a garotas de programas locais.

A garota, no entanto, traiu a confiança de Derek para ficar com todo o dinheiro.

Publicidade

Dias antes do assassinato, Neely foi ouvida por conhecidos, dizendo: "Ele é um idiota, eu só estou com ele por seu dinheiro".

A polícia encontrou o corpo de Taylor em janeiro de 2017, após um genro alertar preocupação. A família havia notado uma transferência de dinheiro de Taylor para sua amante e desconfiou que alguma coisa estava se passando. Foi aí que a polícia desvendou o crime.

Apesar de ter todas as provas contra a garota, Neely ainda se defende. Seu advogado de defesa diz que Taylor lhe dava drogas para ficar com ele, e que ele estava "obcecado" pela mulher.

Ela teria cometido esse crime como "defesa pessoal", depois que ele avançou contra ela com um machado. Pelo menos, foi isso que ela contou para um guarda prisional. No entanto, todo o comportamento após o assassinato deixa essa mulher em uma situação muito delicada. Ela escreveu o recado e foi no banco pegar em dinheiro para os seus vícios, o que poderia demonstrar sua culpa. O caso vai continuar em julgamento e ela segue em prisão preventiva. #Prostituta