Um homem de 60 anos residente na cidade portuguesa de Beja vai responder na #Justiça por crime de difamação. O homem foi processado pela prefeita da União de Freguesias de Albernôa e Trindade, Sandra Margarida, depois de lhe ter chamado “burra” na rede social Facebook. Na publicação onde foi feita a ofensa, o acusado tentou fazer uma piada onde referia que a manutenção dos espaços verdes da vila estava sendo feita por animais e não por funcionários da Prefeitura como seria de esperar.

Segundo reportagem publicada nesta quinta-feira (18) no jornal português “Correio da Manhã”, foi em 17 de agosto do ano passado que Luís Brito fez a crítica à prefeita de Albernôa e Trindade no #Facebook.

Publicidade
Publicidade

O homem tinha acabado de ver, dentro de um jardim público, uma égua, uma ovelha, uma cabra e várias galinhas, essas últimas sua propriedade.

Na opinião do agora acusado pela prefeita, os animais estariam naquele espaço fazendo um serviço público, uma vez que, ao se alimentarem de ervas daninhas estariam fazendo a manutenção do jardim. Em sua publicação na rede social, Luís Brito escreveu o seguinte: “É triste ter de ser as minhas galinhas, a égua dos ciganos, a ovelha do Manuel, a cabra do Xico, a tratar da manutenção dos espaços verdes da aldeia porque a burra da presidente não o faz. Essa trata dos espaços ‘vermelhos’”.

Sandra Margarida se sentiu ofendida com o fato do homem ter lhe chamado de burra publicamente e, ainda para mais, por ter dito que ela só quer tratar dos espaços “vermelhos”, uma alusão ao partido a que pertence, o Partido Comunista Português.

Publicidade

Agora o comentário deu direito a um processo judicial contra Luís Brito. O Ministério Público da cidade de Beja considerou que a publicação ofendeu a honra e a consideração pessoal e profissional da prefeita.

Luís Brito disse ao “Correio da Manhã” ter ficado surpreendido com o processo. O homem diz que tudo não passou de uma brincadeira que ele quis fazer sem qualquer maldade.

O acusado acrescentou ainda que ele já tem conhecimento da queixa-crime, mas que não percebe onde se encontra o crime, uma vez que, disse ele à publicação portuguesa, não chamou de burra diretamente a líder política da cidade. Entretanto, a prefeita também falou ao mesmo jornal que vai aguardar com serenidade toda a progressão do processo judicial.

O que você pensa sobre esse caso? Acha que cada vez mais é necessário ter cuidado com o que se escreve publicamente nas redes sociais? Conhece mais algum caso assim? Escreva a sua opinião nos comentários! #portugal