Um #Homem de 23 anos foi estuprado "numerosas vezes" por três #mulheres. Ele denunciou os abusos sexuais aos quais foi vítima ao logo de três dias depois de ter sido sequestrado e levado para um quarto, onde foi estuprado pelas agressoras. O caso aconteceu na África do Sul e a polícia já está investigando, na procura pelas agressoras.

No entanto, um outro homem, que também foi vítima de abusos sexuais por mulheres, contou que os policiais "não levam a sério" o #Estupro quando são elas as culpadas.

A verdade é que o estupro é um dos crimes que está mais relacionado com o homem. Geralmente, são as mulheres as vítimas e eles os agressores.

Publicidade
Publicidade

Porém, nem sempre é assim, e infelizmente os homens vítimas de abusos sexuais nem sempre são respeitados e tratados como merecem. Também por isso, e por alguma vergonha, eles nem sempre denunciam os crimes.

É assim na África do Sul, como em muitos outros países. Crimes de violência doméstica e sexual passam muitas vezes em claro, quando são elas as agressoras. Nesse país africano, são 20% os casos de estupros de mulheres contra homens, de acordo com Rees Mann. Ele disse: "As vítimas masculinas são muito menos propensas do que as mulheres a denunciar abuso sexual porque a polícia não leva a sério".

Nesse caso, o homem denunciou mesmo as suas agressoras, e a polícia garante que vai investigar o caso e que não se importa se são mulheres ou homens os estupradores, garantindo que investigam o caso da mesma maneira.

Publicidade

Como ele foi estuprado

O pesadelo desse homem começou quando ele mandou parar um táxi no leste de Pretória, na sexta-feira, com três jovens mulheres dentro. O homem foi ordenado para se sentar na frente e, sem perceber, foi injetada uma substância desconhecida nele, que o fez desmaiar, de acordo com a TimesLive. O homem só acordaria mais tarde, quando já estava em um sala desconhecida, deitado em uma cama de solteiro, segundo ele contou à polícia.

Alegadamente, as mulheres forçaram então esse homem para que ele bebesse uma bebida energética, antes de se revezarem, violando-o várias vezes por dia. "O Serviço de Polícia da África do Sul toma todas as ofensas sexuais seriamente, independentemente do sexo", disse o capitão da polícia da África do Sul, Colette Weilbach, garantindo que vão fazer de tudo para "levarem as criminosas à Justiça".

A vítima foi largada mais tarde em um campo. O homem foi deixado semi-nu, após três dias de abusos sexuais.

Violação e violência sexual contra homens e mulheres estão em níveis epidêmicos na África do Sul. Estima-se que mais de meio milhão de estupros são cometidos anualmente no país, sendo que 20% das vítimas seriam homens.