A BBC revelou hoje (11) em sua edição online que um homem russo foi condenado a três anos e meio de prisão com pena suspensa por ter jogado #Pokémon Go dentro de uma #Igreja. O homem foi acusado de blasfêmia, de ter insultado convicções religiosas e ainda por ter incitado o ódio. No final do julgamento, o acusado disse ter ficado satisfeito com a decisão do juiz e prometeu nunca mais utilizar o celular dentro de um local de culto.

Na maioria do mundo ocidental, ser condenado por algo com base na blasfêmia ou em ofensas religiosas pode parecer estranho e até arcaico, no entanto, em algumas partes do mundo, como por exemplo na Rússia, esses podem ser motivos mais do que suficientes para se ter problemas com a Lei.

Publicidade
Publicidade

A BBC revelou hoje um caso surpreendente. Um jovem de 22 anos foi considerado culpado por ter insultado convicções religiosas depois de ter realizado um vídeo com ele jogando Pokémon Go durante a missa dentro de uma igreja ortodoxa, na cidade de Yekaterinburgo.

O vídeo foi realizado em agosto e rapidamente ficou viral e ganhou muita atenção online. O jovem de 22 anos, que é um blogger muito famoso na Rússia, decidiu fazer a gravação em resposta a rumores que tinha lido e ouvido, sobre as consequências legais de jogar videogames dentro de um local de culto. No início do vídeo polêmico, que foi uma das provas apresentadas em Tribunal, o homem afirmava que para ele não fazia qualquer sentido que alguém se pudesse ofender com o fato de alguém andar com o celular na mão durante a missa.

No entanto, a verdade é que alguém fez queixa e poucos dias depois do homem ter publicado o vídeo, a polícia o prendeu.

Publicidade

O Ministério Público levou o jovem a tribunal e, depois de ter sido encontrada em sua casa a câmera que usou para fazer o vídeo, ele foi considerado culpado.

O juíz ordenou uma pena suspensa de 3 anos e meio, o que significa que ele vai conseguir continuar fazendo a sua vida com relativa liberdade. Além da pena suspensa ele foi também condenado a fazer 160 horas de serviço comunitário.

Outro caso em que a religião ficou contra o Pokémon Go

No último verão, na Arábia Saudita, alguns dos religiosos mais influentes do país declararam uma “guerra” contra o famoso videogame. Foi feito um decreto religioso que diz que o Pokémon Go viola várias leis islâmicas. Os religiosos explicaram que que aquele tipo de entretenimento apela ao jogo, utiliza símbolos maçônicos proibidos e promove imagens e palavras proibidas por aquela religião.

O que você pensa sobre esse caso? Acha que o jovem desrespeitou a igreja? Escreva a sua opinião nos comentários! #pokemongo