No Brasil, um grande número de idosos vivem em uma situação precária com poucos ou nenhum recurso financeiro. Alguns são abandonados pelos próprios familiares em asilos e em outras casas de repouso. No entanto, não são todos que concordam em deixar seus lares. Há idosos que, mesmo passando por sérias dificuldades, preferem se manter, da maneira que podem, em suas próprias casas.

Todavia, esse não é um problema social exclusivo do Brasil. Um exemplo disso é o que aconteceu com a norte-americana Agnes Maples. Muito idosa e viúva, Agnes mora sem a companhia dos filhos ou de qualquer outro familiar. Ela conta que foi vítima dos desmazelos dos próprios filhos.

Publicidade
Publicidade

Segundo ela, quando os filhos ainda moravam com ela, eles foram transformando a casa em uma espécie de lixão. Todos os tipos de lixos e sucatas podiam ser encontrados em sua residência. Devido à sujeira do local, ela frequentemente recebia multas de aproximadamente 250 dólares.

Já com 90 anos, Agnes não tinha força suficiente para retirar os entulhos e nem tinha condições para pagar alguém para o serviço. Além do lixo, Agnes também tinha um outro problema: sua casa estava em péssimas condições. Partes do forro do teto estavam podres e quase caindo sobre ela.

Sabendo de tudo que Agnes passava, a vizinhança se mobilizou e pediu a ajuda para uma instituição filantrópica, a "Operation Blessing". Comovidos com a história da idosa, a equipe de voluntários foram à casa e retiraram todo o entulho que foi deixado pelos filhos.

Publicidade

Muito agradecida, Agnes disse que foi salva pelos voluntários. “Eles são anjos. Fizeram todo o trabalho necessário em minha casa, hoje posso ter acesso a minha área que eu nem me lembrava mais como era. Todos me ajudaram muito, não sei o que seria de mim sem vocês", disse.

Além de ter a casa restaurada, os voluntários ainda fizeram uma bela surpresa para a idosa. Sabendo que ela não possuía ar-condicionado, eles se mobilizaram e deram um de presente para ela. No vídeo, é possível vê-la se emocionando ao receber o presente.

Histórias parecidas com a de Agnes, infelizmente, ocorrem com bastante frequência. No entanto, não são todas que têm um final semelhante. Todos os dias nos deparamos com notícias de idosos sendo maltratados por pessoas do convívio, como filhos, noras ou cuidadoras. Histórias como essas irão se repetir até o momento em que políticas públicas eficazes sejam criadas a fim de combater esse tipo de crime. #solidariedade