Localizado entre os oceanos Atlântico e Índico, a África do Sul, situado no extremo sul da África, é um dos territórios mais desenvolvidos daquele continente.

Contudo, um acontecimento inusitado, reportado por jornais daquela região, evidencia a constante presença da vida selvagem entre os moradores.

A história é a seguinte. De acordo com periódicos africanos, um babuíno macho, alto e forte, com preferência homossexual, é acusado de estuprar cinco homens em uma vila no Noroeste do país, no início de abril – veja as manchetes.

A imprensa ainda destaca que habitantes da África do Sul estão perturbados com o comportamento do primata, que não machuca as vítimas.

Publicidade
Publicidade

Semelhante a conduta de um estuprador humano, ele apenas imobiliza os escolhidos para depois praticar sexo anal neles.

Depois de satisfeito, o macaco libera os sujeitos, que provavelmente se lembrarão do acontecido por longos anos.

Em depoimento ao jornal sul-africano Bulawayo 24 News, uma das supostas vítimas, George Chiune, revela que o babuíno o sodomizou.

Segundo Chiune, que não informa a data exata da ocorrência nem outros detalhes, ele estava voltando do vilarejo shebeen, quando o macaco o surpreendeu.

Ao ser atacado, inicialmente pensou que o primata queria matá-lo. No entanto, em pouco tempo percebeu que ele desejava apenas “namorá-lo”.

Além da preferência homoafetiva, outra estranha característica observada no babuíno, apelidado Somizi, de acordo com Lizzie McKenzie, pretensa especialista em comportamento animal, diz respeito ao fato dele andar sozinho.

Publicidade

Lizzie salienta que babuínos vivem e se locomovem em bandos. Todavia, conjectura a chance dele ser um proscrito, ou seja, ter sido expulso do grupo em que vivia.

Mas, será mesmo verdade?

PORTAL NEGA VERACIDADE DA NOTÍCIA

De acordo com o portal de notícias Mambaonline, cujo título diz: "Babuíno gay aterroriza aldeões: Sátira ou homofobia perigosa?”, o site de notícias falsa National News Bulletin, usa a homofobia em seus artigos como forma de combater a prática homossexual no continente.

Segundo o Mambaonline, o site foi responsável pela disseminação da falsa matéria de um babuíno estuprando homens na África do Sul.

Inclusive, na seção (sobre nós/about us), o pessoal do National News Bulletin ressalta que o site é voltado à “sátira africana pura” – confira abaixo.

Ao que parece, a notícia, apesar de reportada em diversos veículos convencionais do continente, é FAKE NEWS.

Publicidade

A homossexualidade é ilegal em mais de 30 países da África – veja manchete abaixo.

#Bizarro #Curiosidades #Viral