Uma explosão durante o show da cantora Ariana Grande, nesta segunda-feira (22), próximo ao Manchester Arena, matou cerca de 22 pessoas e deixou outras 60 feridas. A polícia britânica já classificou o ataque como um #Atentado terrorista. As primeiras informações deram conta de que havia 19 mortos, mas na manhã de terça (23), Ian Hopkins, chefe de polícia de Manchester, já atualizou os números, confirmando que crianças também estão entre as vítimas. De acordo com as autoridades locais, a explosão ocorreu no final do show de Ariana, que possui um grande público infantil e adolescente. O a bomba explodiu do lado de fora, em espaço público, e o autor da explosão estaria entre os mortos.

Publicidade
Publicidade

Logo após o ocorrido, a equipe de assessoria de #Ariana Grande informou que ela estava bem. A artista se pronunciou por rede social e disse "estar de coração partido", além de pedir desculpas. Ariana Grande é uma cantora, atriz e compositora, que já foi duas vezes indicada ao Grammy. Sua carreira ganhou auge após interpretar o papel de Charlotte, em um musical da Broadway, além de integrar o elenco de Victorious, da Nickelodeon. Sua carreira musical ganhou sucesso em 2013, com a gravação de Your Truly, cujo o álbum, The Way, vendeu mais de 120 mil cópias. Os fãs da cantora criaram uma "corrente solidária" para apoias as vítima e a cantora. Sem condições de continuar com a turnê, a cantora resolveu suspender todos os shows que estavam marcados na Europa, as apresentações faziam parte da turnê mundial que a cantora realizava.

Publicidade

Estado Islâmico na autoria dos ataques

Nesta manhã de terça (23), o grupo terrorista, #Estado Islâmico, teria começado uma série de publicações na internet, assumindo a autoria do ataque. No que se entendeu ser um comunicado, o grupo extremista anunciou que um de seus membros perpetuou o ataque. "Um dos soldados do califado colocou uma bomba no meio da multidão durante o show", dizia a nota. De acordo com o jornal O Globo, membros do grupo comemoraram o ataque nas redes sociais, induzindo outros integrantes a fazer o mesmo nos locais onde vive.

Ainda de acordo com o jornal brasileiro, tudo indica que o ataque em Manchester foi um atentado de vingança pelo ataque das forças aéreas britânicas no Iraque e na Síria. "Parece que bombas da Força Aérea britânica sobre crianças em Mossul e Raqqa acabaram de voltar para Manchester", escreveu um usuário do Twitter.

Repercussão Internacional

Os principais líderes mundiais prestaram condolência ao Reino Unido. O presidente Francês, Emmanuel Macron, afirmou que a França continuará combatendo o terrorismo ao lado da Inglaterra. Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel disse que o ataque só reforça a necessidade de se combater o Estado Islâmico. O presidente norte-americano, Donald Trump também se manifestou a favor do Reino Unido, onde classificou os terroristas como "perdedores mal-intencionados".