Atualmente, fazer tatuagens se tornou algo comum para muitas pessoas. No entanto, o que a grande maioria não pensa na hora de realizar uma #Tatuagem é que a mesma dificilmente poderá ser removida de sua pele, e que o uso de alguns tratamentos e o gasto de dinheiro serão mais do que necessários para poder removê-las.

Além disso, os riscos de cicatrizes ou procedimentos que podem não darem certo é bem grande e foi exatamente o que ocorreu com uma tailandesa. Algumas fotos de sua pele viralizaram depois dela ter realizado o processo de remoção de tatuagem.

Pasuda Reaw, de apenas 21 anos, acabou optando por um tratamento alternativo de remoção de tatuagem, e teve como resultado uma grande cicatriz em sua pele, mostrando nitidamente que não deu certo.

Publicidade
Publicidade

No ano passado, a jovem havia feito um pouco abaixo de seu pescoço uma tatuagem com rosas vermelhas e alguns raminhos verdes, porém, após um determinado tempo a jovem se arrependeu da escolha e decidiu apagar a tatuagem para não prejudicar o seu mais novo emprego.

Mas, como isso ocorreu?

Ao optar por não utilizar o procedimento correto de remoção de tatuagens a laser, Pasuada optou pelo uso de um produto químico vendido na internet chamado Rejuy, que, por sua vez, promete ter a função de um peeling que apaga tatuagens, mas a jovem se arrependeu após conferir o resultado obtido.

Segundo ela, o produto foi aplicado pela primeira vez na tatuagem em fevereiro e depois de alguns dias começou a sentir coceira e muita dor no local.

Publicidade

Com o passar do tempo, as coisas foram piorando e a tatuagem descascando em sua pele. Após dois meses, o desenho saiu por completo, como se tivesse sido recortado, deixando uma enorme cicatriz de lembrança.

Pasuada decidiu utilizar esse método não convencional pelo simples fato de que o mesmo aparentemente era uma boa maneira para remoção de tatuagem. Além disso, a jovem não queria optar pelo laser. Segundo ela, após a aplicação do produto, ela mal conseguia dormir e que tudo aquilo acabou se tornando uma tortura devido às coceiras e dores que ela estava sentindo na região.

Por fim, Pasuda relatou em sua entrevista ao jornal “The Mirror” que a ideia principal de divulgar as imagens de sua cicatriz era de alertar outras pessoas para que tomem cuidado com o tratamento escolhido para remoção de tatuagem e para que, de preferência, procurem um profissional experiente e responsável.

A jovem não chegou a comentar se deseja processar a empresa responsável pela produção do produto e até o presente momento, a Rejuvi Labas não se pronunciou sobre o ocorrido. #Beleza