Hoje foi um dia em a França atraiu os olhares de toda a Europa e, sem muitas surpresas, respirou aliviada com a vitória de Emmanuel #Macron.

Por mais que a sua vitória já fosse dada como certa em pesquisas durante a semana decisiva, o mundo ainda sofria com o fantasma de certezas não tão certas assim, como a vitória de Trump ou do Brexit.

O presidente eleito é o mais jovem da história: Macron assumirá a faixa residencial com apenas 39 anos de idade. Ao contrário da sua pouca idade, Emmanuel irá encarar muitos problemas internos e externos da França.

Confira alguns dos problemas que esperam pelo novo eleito:

Desemprego

A França sofre com uma taxa de desemprego que chega aos 10%, a maior dos últimos 12 anos, isto é, mais de 2,5 milhões dos franceses estão vivendo de projetos do governo ou sem quaisquer fontes de renda legalizadas.

Publicidade
Publicidade

Com o término do primeiro turno, Macron pediu para que os eleitores dos seus rivais votassem nele, já que era o candidato mais preparado para administrar a crise e apresentar novos planos para multinacionais e, com isto, dar esperanças aos milhões de pessoas que são acometidas pela pouca ou falta de renda.

Terrorismo

Infelizmente, nos últimos anos a França tem sido alvo de inúmeros ataques terroristas que causaram a morte de centenas e aterrorizaram milhões.

Ao contrário de sua concorrente no 2º turno, Marine Le Pen, o centrista afirmou em toda a sua campanha que não cogita uma França com portas fechadas, e sim, um país com serviços de inteligência mais eficazes e que pregue a cumplicidade, diferente dos discursos xenofóbicos ditos pela filha do ex-presidente francês.

União Europeia

É irrefutável dizer que a sombra do Brexit ainda paira por toda Europa, já que países como Holanda, Itália e a própria França cogitaram, mesmo que nas redes sociais, findar com o acordo europeu.

Publicidade

O presidente eleito sempre foi questionado durante a campanha sobre a possibilidade de deixar a União Europeia e este parece ser um dos pontos fracos, já que, ao ser questionado, Macron sempre deu respostas amplas ou, como o perdão do trocadilho, procurava sair à francesa.

O que esperar da relação França-Brasil?

Após os números apontarem uma vitória certa de Macron, Temer usou a sua conta do twitter para saudá-lo e corroborou que os dois países continuarão trabalhando pela paz, integração e crescimento mútuo de uma das parcerias mais sólidas que o Brasil possui em território europeu.

Agora, cabe aguardar e torcer para que a França e Brasil possam, ensemble, colocar os seus países nos trilhos!