Um assassinato macabro, praticado na quinta-feira (4), na cidade de Monterrey, estado de Nuevo Leon (#México), gera repulsa na população e repercute em diversos jornais do país.

Executado por Maria del Carmen Hernández, 42 anos, contra o próprio filho, José Alejandro Iracheta Hernández, três anos, o #Crime chama atenção pela motivação do homicídio.

De acordo com a imprensa mexicana, Maria é suspeita de queimar a criança até a morte durante uma cerimônia satânica – confira as manchetes abaixo.

Ao atender a ocorrência, às 21h50, policiais se depararam com uma verdadeira cena de terror, provavelmente nunca imaginada por eles.

Publicidade
Publicidade

Na ocasião, observaram a mulher, no telhado da residência, sentada em uma cadeira de balanço com o corpo do menino totalmente carbonizado em seus braços.

Ainda em estado de transe, com o filho no colo, os agentes da lei tiveram dificuldade em convencer a mexicana a entregar o cadáver queimado a eles. Embora relutante, Maria cedeu o corpo totalmente “torrado” aos policiais.

Responsáveis por chamar a polícia, vizinhos disseram escutar a adepta do satanismo gritar diversas vezes o nome “Satanás”.

Também revelaram observar a movimentação de vários homens e mulheres na casa, todos a pronunciar o nome do “tinhoso”.

Ao entrarem no recinto, autoridades encontraram o local onde a criança foi queimada: uma banheira de bronze com cerca de um metro de diâmetro e 50 pés de altura, com manchas de sangue dentro e um isqueiro para atear foto.

Publicidade

Em depoimento aos investigadores, populares comentaram que depois da Páscoa, Maria começou a apresentar comportamento estranho.

Além de manter um certo isolamento dos habitantes próximos, a mulher, segundo uma vizinha (nome resguardado), confessou algo bizarro.

Visivelmente perturbada, a mexicana argumentou que Deus estava exigindo que ela fizesse algum tipo de sacrifício.

No momento, a polícia investiga o caso. Contudo, não descarta a hipótese de ela ser mentalmente perturbada.

Entretanto, o real motivo do homicídio permanece um mistério. Porém, o resultado do ato praticado pela mãe do garoto é irreversível. Com certeza, nem o “diabo” a salvará de uma severa punição.

O acréscimo de crimes relacionados ao satanismo em todo o mundo, desde o início do ano, impressiona e preocupa as autoridades.

Em fevereiro, por exemplo, publicamos artigo sobre o russo Arsen Bairambekov.

Publicidade

Ele matou quatro mendigos em rituais satânicos. Para conhecer a história, clique AQUI.

Abaixo, veja a reportagem sobre o chocante crime no México.

#Curiosidades