Um médico holandês é suspeito de ter usado o próprio esperma para fertilizar pacientes, uma completa infração do Código de Ética Médica e que também é considerado crime, segundo a legislação do país. O médico Jan Karbaat foi diretor e responsável por uma das maiores clínicas de fertilização in vitro, que ficou muito famosa na Holanda nos anos 1980 e 1990.

Agora, depois de sua morte, aos 80 anos de idade, em abril deste ano, 23 pessoas nascidas através de inseminação artificial, juntamente com seu pais, reclamam em tribunal para que seja investigada a utilização do próprio sêmen pelo médico que os fertilizou sem saberem.

A que parece, Karbaat já admitiu ter utilizado o seu esperma na fertilização de 60 crianças enquanto trabalhou na clínica, que se localiza numa cidade perto de Roterdã, no litoral da Holanda.

Publicidade
Publicidade

Uma das acusações é de que o médico teria excedido o número máximo que um doador pode doar seu esperma, que é de seis fertilizações. Também é obrigatório que os doadores sejam todos anônimos.

Os advogados da família solicitaram ao tribunal que seja respeitada a vontade do morto, que era o de não realizar nenhum teste de DNA depois de sua morte. Foi ainda solicitado que respeitassem o direito à privacidade da viúva de Karbaat.

Os advogados afirmaram que não há quaisquer evidências de que o médico tenha praticado o que agora lhe acusam, inseminar dezenas de mulheres. Nas décadas de 1980 e 1990, a clínica que dirigia, o Centro Médico Bijdorp, foi um dos maiores bancos de esperma da Holanda, numa época em que Karbaat se vangloriava de ser "pioneiro" no campo das inseminações artificiais.

Entretanto, os familiares das crianças geradas na clínica solicitaram ao tribunal que apreendesse objetos pessoais que pudessem confirmar o DNA de Karbaat.

Publicidade

Uma mulher escutou do próprio médico que o seu filho poderia ser dele, que se justificou dizendo que os genes são bons, já que ele era uma pessoa inteligente e saudável.

Outra solução é exumar o corpo do médico e realizar exames de DNA nos filhos legítimos dos médicos, além dos testes realizados nos seus objetos de uso pessoal. O tribunal retomará os trabalhos em 2 de junho, quando anunciará a sua decisão final sobre o caso.

Então, o que você achou da atitude do médico Jan Karbaat? Será que ele tinha razão ao afirmar que o seu esperma era de boa linhagem, tendo assim favorecido as família? Nos dê sua opinião, ela é muito importante para nós. #JanKarbaat #InseminacaoArtifical #FertilizacaoInVitro