Uma pessoa que se denominava "pai", que estuprou a filha por vinte anos, foi detido no Reino Unido depois de ter sido flagrado em vídeo contando todos os atos de #Estupro praticados contra a filha. Raymont Prescott, que hoje tem 54 anos, relatou a sua filha Layla, atualmente com 31 anos, que a melhor relação sexual que ele teve em toda vida foi com sua filha: "O melhor sexo que eu já tive em toda a minha vida foi com você". O primeiro abuso de Raymont Prescott contra sua filha foi quando ela tinha apenas 7 anos de idade e ele disse "É o nosso segredinho".

Layla descreveu que o seu pai, de uma hora para outra, virava outra pessoa, ele passava de seu "melhor amigo" para um pervertido e um "predador sexual", e a atacava de maneira insolente enquanto aos berros dizia "Estou transando com minha própria filha".

Publicidade
Publicidade

No ano de 2001, a vítima veio a denunciar à polícia os abusos sofridos, no entanto sua família não gostou nada da denúncia e a repreendeu arduamente. Como os familiares não acreditaram na versão de Layla, ela se viu praticamente forçada a retirar a denúncia feita contra o próprio pai.

Só que em dezembro de 2012, logo após seu pai novamente tentar lhe atacar, ela criou coragem, preparou uma cilada e fez um vídeo escondido pegando toda a declaração do seu pai, em que ele falava dos crimes doentios cometidos por ele contra ela. Nas imagens contidas no vídeo feito por Layla, seu pai diz coisas horríveis como por exemplo relatar que não gosta de transar com ninguém e que só queria transar com a própria filha. Logo depois de ter certeza que tinha muitas evidências contra seu pai, ela entregou a gravação à polícia, conseguindo que seu pai fosse acusado por estupro.

Publicidade

No início, Prescott negou todas as acusações feitas contra ele, só que no mês de maio de 2016, ele foi preso e condenado a uma sentença de doze anos em um tribunal de Nottingham.

Layla, que hoje tem quatro filhos, não quis que seu nome ficasse no anonimato e falou que na primeira vez que seu pai Raymont a violentou sexualmente ela tinha apenas sete anos. Ela ainda relatou que seu pai falou que estava muito orgulhoso da filha por ela não ter feito xixi na cama e lhe prometeu que iria ganhar um presente por isso. Assim, logo após todos irem para a escola, ele a deitou no chão e depois de acariciar seu corpo, tirou a roupa dela. Layla falou ainda que não se lembra ao certo o que aconteceu depois disso porque bloqueou o que aconteceu na sua sua cabeça por ser muito nova na época, mas sabia que não se tratava de uma coisa boa. Os abusos se repetiram mas não eram algo de regular. #Mulher #Violência