Um homem está contando sua história de vítima de #Violência doméstica. Martyn Brown foi esfaqueado 28 vezes por sua noiva, depois de ter ficado em um #Relacionamento abusivo, por sentir vegonha de compartilhar o problema. Depois de um início de relação perfeito, ele não poderia adivinhar como a personalidade de sua noiva, Harriet Sharp, iria mudar. Entretanto, a mulher admitiu a culpa por esse crime de violência doméstica e foi condenada a onze anos de prisão, enquanto que Martyn está se recuperando de todos os graves ferimentos, os físicos e especialmente os mentais.

Martyn sabe que ficou muito próximo da morte, até porque uma das facadas atingiu as proximidades de um pulmão, o que o poderia ter matado.

Publicidade
Publicidade

Depois de ser hospitalizado, ele ainda tentou o suicídio, por causa de um transtorno de estresse pós-traumático. Apesar das marcas psicológicas, ele vai lutando para reconstruir sua vida.

Mesmo sentindo um pouco de vergonha, ele falou por ele e por todos os homens vítimas de violência doméstica: "Eu não tenho medo de falar agora. Qualquer pessoa passando por isso precisa saber que existem organizações lá fora que podem ajudá-lo. Fale com amigos, fale com sua família. Não seja um sofredor como eu fui", contou Martyn, um ex-barman, que sofreu durante três meses um relacionamento abusivo.

Como tudo começou

Martyn e Sharp começaram a namorar na primavera do ano passado, após serem apresentados por um amigo em comum. No início, ele achou que ela era "adorável, um pouco tímida, mas engraçada e espirituosa".

Publicidade

Tudo corria bem e após cinco meses de namoro, eles foram viver juntos. Um mês depois, Harriet Sharp mudava toda a tradição e pedia Martyn em #Casamento, oferecendo-lhe um doce em forma de diamante.

Martyn não esperava essa proposta, mas estava tão apaixonado que disse 'sim'. Eles até chegaram a agendar o casamento. O grande dia seria a 22 de outubro de 2017, mas o comportamento de Harriet mudou completamente e a mulher, desempregada, virou a vida de Martyn em um inferno.

Ela começou bebendo cada vez mais e, do nada, ela pegava na faca de cozinha e cortava o companheiro, um comportamento agressivo, pelo qual ela sempre se desculpava no dia seguinte. E Martyn foi deixando acontecer. Por ser homem, ele achou que deveria aguentar, sem retaliar e sem ir embora. "Eu estava muito envergonhado de contar a alguém o que estava acontecendo", contou Martyn em declarações citadas pelo jornal Mirror.

Violência termina relacionamento abusivo

Em janeiro, foi um ponto final na história de violência.

Publicidade

Ela pegou na faca de cozinha e esfaqueuo-o, por todo o corpo, por 28 vezes. O ataque durou 15 minutos, até que ela parou e ele mesmo teve que chamar a emergência. Martyn foi levado para o hospital com várias hemorragias e passou três noites em coma, antes de acordar e falar tudo para a polícia.

Onze dias depois, ele teve alta, recuperado de seus ferimentos físicos, mas teve que regressar para o hospital, por problemas psicológicos. Ele estava quebrado mentalmente e tentou se suicidar. Agora, ele já se sente melhor e quer retomar sua vida, o que deverá acontecer em uma casa de acolhimento para vítimas de violência doméstica: "Eu definitivamente vejo um futuro para mim. Eu estou determinado a olhar para a frente, eu não quero deixá-la ganhar".