A caça predatória de alguns animais tenta ser banida pelo mundo. Isso ocorre, no geral, pois esses animais estão em extinção ou são muito importantes naquele ambiente. Aos 51 anos, o caçador Theunis Botha virou notícia em todo mundo por uma tragédia. Como mostram diversas reportagens, como do tabloide inglês 'The Sun', ele adorava ostentar as suas caças. O prazer de Theunis era mostrar os animais que um dia matou. Fotos ao lado de rinocerontes e jacarés eram compartilhadas pela internet e com amigos. Quanto maior ou mais raro, mais a caça parecia valer a pena para esse homem. Ele não poderia imaginar, é claro, que de caçados, um dia, também viraria caça.

Publicidade
Publicidade

Sim, ele acabou provando do próprio veneno.

O caçador que virou presa da caça

Em uma viagem para cidade de Gwai, no ZimbabueTheunis e seus amigos decidiram fazer mais uma das suas caças predatórias. No entanto, a caça serpa lembrada por um fato triste, o dia em que a caça fez o papel do caçador. Um dos amigos do desbravador africano decidiu atirou em uma manada de elefantes. Uma fêmea conseguiu fugir, mas na fuga foi baleada, e acabou tombando, caindo sobre o seu caçador.

A elefante morreu, mas levou com ela o caçador, que não suportou o peso embaixo de sua carcaça. Theunis estava com três amigos quando morreu. O grupo praticava caça juntos há anos, mas nada parecido com isso havia acontecido antes. Por isso, eles se sentiam seguros em continuar nas caçadas.

O caçador amigo de Theunis atirou em três elefantes.

Publicidade

Conforme os seus relatos após a tragédia, um dos animais correu atrás do falecido caçador. O elefante parecia que ia dar um golpe fatal no homem com sua grande tromba. Assustados, os amigos atiraram no elefante, tentando fazer ele parar e conseguiram, nas não bem da forma que queriam. No embate, a fêmea, tomou um dos tiros e caiu, mas levou consigo Theunis junto. Ele acabou ficando por baixo dela durante a queda e não pôde voltar para contar mais essa importante história de caça.

Bothas era nascido na África do Sul e estava acostumado a lidar com animais. Ele até levava turistas para a região, onde realizava grandes safaris. A companhia de Theunis de turismo chegou a ser fundada em 1980. Desde então, ele levava gente do mundo inteiro para ver leopardos, elefantes e etc. Infelizmente, agora os turistas não vão poder mais ter as palavras conhecedoras do sul-africano. O morto era casado e tinha cinco filhos. A família e amigos usaram as redes sociais para a despedida, taxada de emocionante pelos portais estrangeiros. #Bizarro #caça elefantes #É Manchete!