Quando se envolve maus tratos e tortura de menores, não há questão cultural que possa justificar qualquer ato. Embora na China, assim como em outros países asiáticos conhecidos pelo rigor quanto à educação das crianças, bater nos menores para possa ser considerado algo natural, um caso chocou até os mais adeptos dos castigos físicos.

Uma menina foi pendurada por uma corda por seu pai para que ele pudesse surrá-la. O detalhe é que ela tem apenas 8 anos. A história repercutiu no país e também em veículos de comunicação da Europa e Estados Unidos.

De acordo com o Mirror Online, a menina foi flagrada em vídeo pendurada no quintal da casa onde a família morava, por supostamente ter rasgado os papeis que oficializavam o divórcio dos pais.

Publicidade
Publicidade

O nome da vítima não foi divulgado. Mas, ao que parece, ela ficou tão infeliz por ver o lar sendo desfeito que teria planejado destruir os documentos que simbolizavam a desunião dos pais. Ao que parece, não foi à toa que o casamento acabou, pelo menos a julgar pela reação do pai contra a menina de apenas 8 anos. Muito revoltado com o que interpretou ser uma birra infantil, o adulto tomou a decisão de puni-la exemplarmente.

A correção extremamente dura, exibida bem em frente à casa da família, foi denunciada e autoridades locais do condado de Jiange, na província de Sichuan, no sudoeste da China, tiveram de intervir. Os policiais acabaram prendendo homem. Mas antes, para configurar o flagrante de tortura eles filmaram o estado em que encontraram a criança. O pequeno vídeo que serve de prova é muito forte, pois mostra a garota pendurada, aparentemente prestes a desmaiar.

Publicidade

As imagens [VIDEO] foram posteriormente enviadas pelas autoridades à mãe da menor, que além de conseguir resgatar a menina, levará o vídeo para a Justiça para processar o pai.

Assim que foi retirada da situação humilhante e abjeta, a menina foi encaminhada para um hospital, onde passou por atendimento. Seu estado de saúde é estável e ela aparentemente não corre risco de morte. Depois de passar por um check-up físico, a menina passou a receber acompanhamento psicológico para ajudá-la a recuperar do trauma.

“Por sorte seus ferimentos físicos não foram tão sérios e ela vai ficar bem”, afirmaram os agentes que acompanharam o caso.

De acordo com as autoridades [VIDEO], outras coisas que teriam levado o pai a espancar a própria filha, além da destruição dos papéis do divórcio foi o fato de ela ter danificado móveis e quebrado uma garrafa. Depois dos três atos o pai teria perdido a paciência e apelado para a violência desproporcional.

Com essa situação, a expectativa é que a mãe possa conseguir a custódia da menina, senão definitivamente, ao menos enquanto seguirem as investigações que apuram a prática de tortura pelo pai. Caso ele seja condenado, pode pegar uma pena de detenção de um ano, além de perder a guarda definitivamente.

#Crime #Investigação Criminal