A agência Reuters informa que as autoridades britânicas identificaram o homem-bomba responsável pelo ataque terrorista que resultou na morte 22 pessoas e deixou outras 59 feridas ao final de um show da cantora Ariana Grande ocorrido em Manchester (Inglaterra) na noite de segunda-feira (22): trata-se do inglês de ascendência líbia Salman Abedi, de 22 anos de idade.

Segundo Ian Hopkins, chefe da polícia da cidade onde a tragédia aconteceu, a prioridade no momento é trabalhar junto com a rede britânica de combate ao terrorismo para determinar se Abedi agiu por conta própria ou se ele fazia "parte de uma rede mais ampla" de extremistas.

Publicidade
Publicidade

Fontes que atuam na área de segurança nos Estados Unidos afirmaram que, de acordo com funcionários da inteligência britânica, o homem-bomba nasceu em 1994 exatamente na mesma cidade onde realizou o atentado com um explosivo improvisado, e teria pegado um trem em Londres para se dirigir até o local do ataque (os dois municípios estão separados por uma distância de mais de 300 quilômetros).

Alegações do Estado Islâmico

O Estado Islâmico fez uma declaração em sua conta no aplicativo de mensagens Telegram onde assumiu a autoria do ato, e afirmou que o atentado foi uma "vingança contra as Cruzadas" – movimentos cristãos de cunho militar que ocorreram entre os séculos XI e XIII, época na qual a Palestina estava sob o controle de muçulmanos – mas de acordo com a Reuters, existem contradições na descrição da operação.

Publicidade

O grupo terrorista, por exemplo, não publicou o nome do homem-bomba (o que costuma fazer quando ordena um ataque), e seu relato da aparência física de Salman Abedi não condizia com as informações em posse da polícia britânica. Além disso, o Estado Islâmico fez outra postagem afirmando que havia "um grupo de atacantes" envolvidos no atentado, e estes fatos acabaram tornando a referida alegação de autoria do ato discutível.

Reações

Theresa May, primeira-ministra britânica, afirmou após uma reunião com oficiais de inteligência e chefes de segurança que "todos os atos de terrorismo são covardes", mas ela acrescentou que este em especial – ocorrido em um show repleto de menores de idade – se destacou "por sua terrível covardia doentia", já que visou atingir de forma proposital "crianças e jovens inocentes e indefesos que deveriam estar desfrutando de uma das noites mais memoráveis ​​de suas vidas".

A cantora Ariana Grande, de 23 anos de idade, usou sua conta no Twitter para declarar que estava arrasada com a situação, e escreveu: "Despedaçada. Do fundo do meu coração, eu sinto muito, não tenho palavras".

Segundo a Reuters, este foi o #Ataque Terrorista mais letal ocorrido no Reino Unido desde 2005, quando quatro muçulmanos britânicos mataram 52 pessoas em atentados suicidas deflagrados no sistema de transporte público de Londres. #Europa