A explosão que aconteceu durante o show de Ariana Grande é considerada um dos piores ataques que o povo britânico já sofreu. Mais de 22 mortes foram confirmadas, e outras 50 pessoas continuam internadas, sendo a maioria das vítimas crianças e adolescentes. A explosão pode ser vista em alguns vídeos que estão circulando na internet, e o estrago poderia ser muito maior se os explosivos tivessem atingido mais pessoas no momento em que ele foi acionado por um homem-bomba que supostamente morreu durante a explosão.

Um dos suspeitos foi preso no sul da Inglaterra, acusado de ter colaborado com o ataque que aconteceu em Manchester, no norte do Reino Unido.

Publicidade
Publicidade

Há meses que os britânicos convivem com o alerta extremo de ataques terroristas no local, onde o alerta extremo significa um controle interno feito pelas autoridades britânicas que suspeitavam que algum atentado poderia acontecer em qualquer lugar da Inglaterra.

O local escolhido pelos terroristas foi um show em Manchester de Ariana Grande, a diva da música popular norte-americana possui um público muito jovem e a grande maioria das vítimas fatais não possuía nem 18 anos. Uma das primeiras vítimas identificadas foi Georgina Callander. A jovem postou um comentário nas redes sociais antes de ser morta no atentado que matou pelo menos 22 pessoas em Manchester, na Inglaterra, dizendo que estava muito animada para ver a cantora.

A garota chegou a ser socorrida, mas faleceu no hospital, após não resistir aos ferimentos ocasionados pela explosão.

Publicidade

Ao lado da mãe, a garota morreu, após receber socorro assim que a explosão aconteceu. O Estado Islâmico reivindicou o atentado, dizendo que um dos seus califas foi o responsável pela morte de várias pessoas na Inglaterra, que está investigando outros suspeitos que poderiam estar envolvidos na explosão durante o show de Ariana Grande.

A explosão aconteceu logo após a apresentação acabar, nesta segunda-feira (22), em Manchester, por volta de 22h30. Georgina era considerada uma grande de Ariana Grande e estudava saúde e assistência social na Universidade de Runshaw que fica no condado de Lancashire. Depois de confirmada a morte da jovem, a instituição lançou uma nota em solidariedade à aluna que foi identificada entre os 22 mortos, durante o show de Ariana Grande. Considerado um dos piores atentados que a Inglaterra sofreu nos últimos anos, a explosão em Manchester só não foi maior que um atentado no metrô matou 50 pessoas, em 2005, em Londres, ferindo outras 700 pessoas. #Tragédia #2017