O jornal português “Correio da Manhã” revelou em sua edição de hoje (11) que o refugiado que agrediu e estuprou uma mulher sem teto, em dezembro na cidade portuguesa de Albufeira, será julgado por estupro e por tentativa de homicídio. O Ministério Público de #portugal quer o refugiado da Eritreia atrás das grades e já entregou ao Tribunal todos os argumentos que deverão garantir a condenação do homem que foi flagrado cometendo o crime [VIDEO].

Esse #Crime aconteceu em dezembro e chocou Portugal. Por volta das 4h50 da madrugada do dia 1 de dezembro de 2016, um homem se dirigiu até uma sem teto que estava dormindo na entrada de um banco.

Publicidade
Publicidade

A testemunha percebeu então que a senhora se encontrava em muito mau estado, com sangue na cabeça e com vários ferimentos em todo o corpo.

A testemunha, um jovem de 21 anos que tinha ido levar alguma comida aquela senhora, olhou em volta e avistou apenas um homem perto do local. Ele rapidamente percebeu que ele tinha sido o autor do crime e persegui-o até ao terminal do ônibus onde finalmente o conseguiu deter. O jovem chamou de imediato a polícia que levou o suspeito para interrogatório.

Entretanto, o jovem já tinha chamado a ambulância que levou a vítima, em estado grave, para o Hospital de Faro onde foi tratada e examinada.

A investigação do caso foi entregue à Polícia Judiciária de Faro que utilizou o sistema de vídeo vigilância do banco para perceber o que se tinha passado. Os investigadores confirmaram que o homem que tinha sido detido pelo jovem de 21 anos era realmente o autor do crime e o juiz ordenou a sua prisão preventiva.

Publicidade

As autoridades perceberam então que o autor do crime era um refugiado da Eritreia, um homem de 38 anos que se chama Ibrahim Salem. Sabe-se agora que o refugiado foi acolhido pela Fundação António Silva Leal, em Albufeira, em outubro de 2016. O Ministério Público alega que naquele dia 1 de dezembro ele decidiu abordar a vítima de 67 anos que se estava protegendo do frio, tendo-a agredido e estuprado com extrema violência.

A sem teto de 67 anos sofreu vários ferimentos graves. Em Tribunal, o Ministério Público vai alegar que as agressões de Ibrahim Salem provocaram, além de traumas psicológicos, fraturas no rosto, no nariz e no maxilar. Esse julgamento promete causar muita polêmica principalmente porque em Portugal a opinião pública se divide entre aqueles que aceitam os #Refugiados e aqueles que acham que eles nunca deveriam ter sido recebidos no país.

O que você acha sobre esse caso? Acha que a imagem dos refugiados ficará afetada negativamente depois desse crime? Escreva a sua opinião nos comentários!