A enguia é um peixe de hábito noturno, com aparência de serpente – corpo alongado e cilíndrico. Composto de diminutas escamas, além de focinho com dois pares de narinas, ela tem dentes pequenos, afiados o bastante para triturar peixes, crustáceos e anfíbios.

Embora seja capaz de viver tanto na água salgada como na doce, pela primeira vez na história moderna uma enguia foi achada viva dentro de um ser humano.

O bizarro caso do paciente que teve o peixe extraído do estômago, descoberto somente neste domingo pela imprensa internacional, repercutiu nos principais jornais do Reino Unido.

Contudo, a inusitada situação, reportada inicialmente na imprensa chinesa por meio do periódico South China Morning Post (SCMP), aconteceu em abril passado.

Publicidade
Publicidade

Veja as manchetes.

O hilariante “problema” começou quando o homem de meia idade, que reside no Sul da China, passou a sofrer de constipação – dificuldade para defecar.

Com objetivo de resolver o “contratempo”, o asiático recorreu a tradicional receita popular chinesa, cujos métodos pouco ortodoxos são desacreditados pela ciência ocidental.

Publicidade

Ao invés de tomar remédio, ele comprou uma enguia de 50 centímetros e a inseriu no próprio ânus. Em determinadas regiões do país, habitantes usam esse tipo de procedimento para curar a moléstia.

“O paciente disse a médicos em Guangzhou que ele tinha ouvido falar na rua que sua condição poderia ser efetivamente aliviada ou até mesmo curada por uma enguia viva”, reporta o SCMP.

Entretanto, o almejado alívio virou um verdadeiro suplício quando a enguia viva começou a gerar fortes dores estomacais no sujeito, depois de ser introduzida no estômago pela via anal.

Cirurgiões envolvidos na operação disseram que a enguia tinha uma cabeça relativamente grande, equivalente a uma bola de ping-pong. Ainda revelaram que o estômago do paciente estava inchado feito um balão de ar, e que ele sofria de dores agudas – veja fotos, vídeo final da matéria.

Na gravação, o peixe é filmado saindo de dentro do estômago do asiático, ainda vivo.

Publicidade

Também é possível notar o momento em que os envolvidos no procedimento comemoram a remoção do animal, que morreu minutos depois.

Todavia, durante a cirurgia, médicos descobriram que a enguia circulou entre os intestinos do paciente, gerando uma bagunça na cavidade abdominal do mesmo. Em suma, ele esteve à beira da morte.

Tudo indica que inserir um peixe no ânus não é a melhor forma de curar uma doença, seja ela qual for.

Confira o filme da operação a seguir. Caso seja excluído do Youtube, copie e cole o link abaixo no navegador:

http://players.brightcove.net/2540076170001/B1UbbrV5l_default/index.html?videoId=5425117951001#t=4s

#Mídia #Curiosidades #Viral