O presidente dos Estados Unidos Donald #Trump assinou uma ordem executiva hoje (11/05/2017) para aumentar a eficiência da segurança cibernética no país. A ordem tem como objetivo aumentar a segurança cibernética de agências governamentais e infra-estrutura, disse a CNBC que entrou em contato com oficiais do Governo Trump, nesta quinta-feira.

A ordem solicita um relatório sobre a postura cibernética dos EUA na base das indústrias de defesa, disse a Casa Branca em um comunicado. A ordem observou que os chefes de todas as agências norte-americanas terão de apresentar relatórios de gerenciamento de riscos para o secretário de Segurança Interna e para o Diretor do Escritório de Administração e Orçamento (Office of Management and Budget) dentro de 90 dias, de acordo com o comunicado.

Publicidade
Publicidade

A corrida presidencial dos EUA, vencida por Trump em 9 de novembro, foi caracterizada pelo vazamento de e-mails hackeados do principal assessor de Hillary Clinton, John Podesta. #Donald Trump cancelou uma assinatura para o mesmo fim em 31 de janeiro deste ano.

Autoridades russas negaram várias vezes intromissão na eleição norte-americana, caracterizando as alegações como absurdas e destinadas a desviar a opinião pública de casos revelados de corrupção e outras presentes preocupações domésticas. A Ordem Executiva tem como principal objetivo proteger a estrutura crítica da organizações e instituições da nação americana, de ataques de Hacker's tanto internos quanto externos.

Tom Bossert, o secretário de segurança interna, disse que a ordem procurou preencher as lacunas deixadas pela administração anterior.

Publicidade

"Um grande progresso foi feito na última administração, mas não o suficiente", Bossert disse para repórteres durante a entrevista na sala de imprensa da Casa Branca. A campanha presidencial se caracterizou por histórias muito relacionadas à segurança cibernética, incluindo a pirataria e subsequente vazamento de e-mails do Partido Democrata.

A Rússia negou repetidamente que havia participado de uma suposta intervenção na eleição norte-americana, Bossert também disse que estas supostas intervenções não foram o motivo principal para a edição da Ordem Executiva. "Os russos não são nosso único adversário na internet", disse Bossert. #Cibersecurity