Um homem, que foi condenado pelo crime de estupro, mostrou bem a sua personalidade violenta depois de ser declarado culpado de abuso contra a ex-namorada. Ele quebrou a bancada que estava em sua frente no tribunal, tentando agredir a juíza. Seu ataque de fúria foi travado pelos policiais, que impediram um cenário de maior destruição.

A juíza tinha acabado de alertá-lo que ele iria pegar uma pena longa na cadeia por ter abusado da mãe e da ex-namorada. Com este incidente, sua pena poderia ser ainda maior, de acordo com o jornal Liverpool Echo.

Condenado por abuso

O homem, de 29 anos, tem sua identidade protegida legalmente e foi considerado culpado por abusar da ex-namorada.

Publicidade
Publicidade

Ele confessou ainda o estupro contra a própria mãe, e o tribunal de Liverpool não teve dúvidas em sentenciar esse homem.

O homem foi considerado culpado por atacar a sua ex-namorada, causando danos corporais reais, estuprando e atacando-a sexualmente. O julgamento demorou cinco dias - o homem estava respondendo a três acusações. A decisão foi unânime, com todos os jurados concordando em culpar o homem.

Antes do julgamento, ele admitira as duas acusações de estupro e uma por ataque sexual à sua mãe. Os promotores disseram que ele abusou da ex-namorada antes de cometer um ataque horrível contra a própria mãe. Sem qualquer dúvida sobre a gravidade desse #Crime, ele foi detido e vai ficar sob custódia até o final do ano, momento em que sua sentença será finalmente conhecida.

Ataque de fúria no tribunal

Sua reação furiosa aconteceu logo após a juíza Elizabeth Nicholls concordar em adiar o caso, para que se realize um relatório psiquiátrico.

Publicidade

A pena só será então conhecida mais tarde, mas durante esta sessão de julgamento, a juíza que o condenou já alertou ao agressor de que ele cumprirá uma "longa pena de prisão". Foi nesse momento que ele ficou furioso e se levantou na sala do tribunal.

De acordo com o jornal Liverpool Echo, ele saltou contra uma barreira de vidro, quebrando a bancada, quando tentava chegar até a juíza. Ele foi interceptado por dois oficiais do tribunal e um policial conseguiu detê-lo.

O momento de pânico terminou com a rápida reação dos policiais, que conseguiram evitar o pior. Apesar de ser logo agarrado, ele se recusava em sair do local e teve que ser arrastado sobre os vidros quebrados no chão da sala de audiência. O homem foi levado de volta para a cadeia, não sem antes comprovar que é mesmo um criminoso temperamental e perigoso. #Casos de polícia