De acordo com a BBC, os meios de comunicação da #China estão pedindo aos pais que fiquem atentos a uma nova prática online de automutilação que está se espalhando rapidamente entre os jovens e adolescentes: o chamado "bordado humano", que consiste em desenhar padrões de costura na pele usando agulhas e linhas.

Parte da mídia chinesa culpa o jogo "#Baleia Azul" (que alcançou grande popularidade naquele país nos dois últimos meses) pela nova tendência que vem aumentando significativamente nas últimas semanas, com muitos usuários de redes sociais asiáticas, tais como o Sina Weibo – microblog chinês que é uma espécie de mistura entre Facebook e Twitter, e que conta com centenas de milhões de utilizadores –, efetuando a prática e postando imagens dos bordados feitos em várias partes do corpo, tais como mãos, pernas e lábios.

Publicidade
Publicidade

Provável origem da prática

A nova moda do bordado humano teria sido inspirada por um "mangá" (série de histórias em quadrinhos no estilo japonês) conhecido como Tokyo Ghoul, cujo enredo sombrio envolve pessoas e os assim chamados ghouls – criaturas que devoram carne humana. A publicação é proibida na China, mas mesmo assim possui grande fama entre os jovens e adolescentes.

Um dos personagens da história se chama Juzo Suzuya, que mantém o hábito de tecer padrões de costura no seu corpo usando uma linha vermelha, alegando que aquilo se trata de um tipo de "modificação corporal".

Riscos à saúde

Conforme relatou o site chinês People’s Daily Online, dezenas de milhares de postagens podem ser encontradas em fóruns espalhados pela internet no país – alguns inclusive ensinando os "novatos" na prática a como fazer as costuras e nós na pele de forma que a dor sentida no processo seja minimizada.

Publicidade

Muitos dos adeptos registram o passo a passo das criações tirando fotos para ilustrar suas publicações, e são elogiados e incentivados por outros usuários.

A princípio, a prática em si não parece ser tão danosa quanto aquilo que era exigido no jogo "Baleia Azul", quando a pessoa deveria se matar como tarefa final. Entretanto, médicos da China estão alertando que agulhas não esterilizadas podem introduzir bactérias nocivas sob a pele, e no pior dos casos, levar a um quadro de sepse – infecção geral grave que pode inclusive ser fatal.

Motivações

O People’s Daily Online entrevistou o sexólogo chinês Peng Xiaohui, que acredita que o bordado humano se tornou popular entre os adolescentes porque eles imaginam que comportamentos estranhos ou perigosos conquistam a simpatia de seus colegas, e assim acabam imitando novas modas e tendências.

Xiaohui acrescentou ainda que o jogo pode ser visto também como sexualmente sugestivo, apresentando características de sadomasoquismo. #Viral