Doppelganger é uma palavra alemã. Ela serve para descrever um ser sobrenatural capaz de copiar a forma física de uma pessoa. Adeptos desse folclore acreditam que todos os seres humanos têm um ‘Doppelganger’ andando por aí. Por exemplo, segundo as lendas germânicas, neste exato momento um “outro você” pode estar vivendo num país diferente sem que você tenha conhecimento disso.

Embora o mito a respeito de uma entidade paranormal, capaz de clonar a aparência humana, seja apenas um conto popular sem bases científicas, às vezes, situações estranhas acontecem.

De acordo com diversos jornais e emissoras de grande repercussão dos Estados Unidos, autoridades estão perplexas com o caso do detento Richard Anthony Jones, libertado recentemente após passar 17 anos atrás das grades – veja as manchetes.

Publicidade
Publicidade

Conforme a imprensa, o morador do Missouri estava preso desde 1999, depois de ser condenado por assaltar uma mulher em um estacionamento do Walmart.

Publicidade

Apesar de alegar inocência desde o início, somente este ano a polícia identificou um sujeito fisicamente igual a ele, apelidado pelos jornais de 'Doppelganger'.

O bizarro acontecimento surpreendeu até mesmo experientes profissionais do judiciário norte-americano, como Steve Howe, conselheiro do distrito de Johnson.

“Este foi um dos cenários mais estranhos que eu vi em meus 27 anos de processo judicial”, declarou.

A descoberta

Segundo o New York Post, Richard Anthony Jones descobriu sobre a existência de seu ‘clone’ criminoso enquanto estava preso.

“Jones estava cumprindo uma sentença de 19 anos por um assalto em 1999 quando ele ouviu rumores de que outro prisioneiro parecia simplesmente com ele - e até mesmo compartilhou seu primeiro nome”, reportou a jornalista Amanda Woods.

Apesar de nunca ter encontrado seu 'clone' pessoalmente, Jones alertou os advogados sobre a inusitada coincidência. A partir daí, eles foram atrás do sujeito, que também cumpre pena.

Durante as investigações, os advogados descobriram que além da semelhança física com Jones, o marginal ainda residia perto do local do #Crime.

Publicidade

“O Doppelganger de Jones, identificado apenas como Ricky, morava em Kansas City, Kansas, perto do endereço do incidente”, comentou a repórter do New York Post.

Vítimas e Justiça confusas

Conforme a advogada Alice Craig, responsável pela libertação de Jones, ao mostrar a foto dos dois homens à vítima, ao promotor do caso e as outras duas testemunhas do crime, os quatro admitiram impossibilidade em identificar o verdadeiro infrator.

Devido a dificuldade em discernir o autor do assalto, Richard Anthony Jones foi solto. Para a advogada de Jones, todas as pessoas têm um ‘clone’ andando por aí. “Todo mundo tem um doppelganger. Por sorte, encontramos o dele", disse Alice.

#Curiosidades #Viral