Um #bombeiro fez um relato emocionado de como ele arriscou a sua vida para entrar na Torre Grenfell, em #londres, na Inglaterra. Nessa trágica torre morreram 79 pessoas, mas muitas vidas se salvaram pela coragem dos corajosos bombeiros que foram chamados nessa noite fatídica.

Um #Incêndio terrível foi deflagrado em um apartamento, na noite de 14 de junho, mas rapidamente o fogo subiu por toda a torre de 24 andares, provocando um rastro de dor e sofrimento. Um bombeiro compartilhou agora, no Facebook, tudo aquilo que ele viu nessa noite, e também o que ele pensou, em uma indecisão horrível, em que ele foi obrigado a tomar uma escolha impossível.

Publicidade
Publicidade

A história de quem viveu o inferno da Torre Grenfell

O homem não está tendo sua identidade revelada, mas deve ser o bombeiro que mais pessoas emocionou no país. Ele escreveu uma carta emocionante, onde conta que foi obrigado a escolher entre salvar duas pessoas ou subir mais um andar, onde poderiam estar outras cinco pessoas.

Os momentos de escolha foram relatados com um pormenor incrível, que puxa o leitor até o interior da torre, em uma descrição angustiante por ser tão real. O bombeiro contou que foi com um colega ordenados para subirem até o 23º andar, quase no topo do prédio.

O fogo começou no 4º andar, após uma suposta explosão de uma geladeira. Quando eles passaram a escadaria do 5º andar, ele deixou de saber onde estava. Os números já eram ilegíveis diante de toda a fumaça. Nessa subida imensa, ele se cruzou com várias pessoas, gritando desesperadas, e por colegas bombeiros, que as auxiliavam.

Publicidade

"Ao redor do 9º andar, perdemos toda visibilidade e o calor estava aumentando. Ainda assim, continuamos pela escuridão. Chegamos ao que acreditávamos ser o andar 19 ou 20, mas não havia como contar. Foi aqui onde encontramos um casal tentando encontrar o caminho para sair, entrando em pânico, sufocando, cegando pelo ar tóxico", revelou o bombeiro em sua carta.

Nesse momento, a falta de ar era uma realidade preocupante para esse bombeiro. Ele acreditava que se continuassem a subida, eles não iriam conseguir descer mais. Aí, a decisão até parecia fácil: pegar nesse casal e descer o mais rápido que fossem capazes.

No entanto, o casal revelou uma informação que acabou mexendo com ele. Eles tossiam, gritavam, mas não esqueciam que no andar em cima, estavam mais cinco pessoas. Essa informação foi terrível para esse bombeiro que ficou sem saber o que fazer. Por um lado, ele queria subir e tentar salvar essas pessoas, mas por outro lado, ele temia que não conseguisse salvar nem esses cinco, nem os dois que acabavam de resgatar.

Publicidade

"Posso aceitar viver com o pensamento de que salvar duas vidas é melhor do que correr o risco de subir e potencialmente não salvar ninguém?", foi a maior indecisão que esse homem enfrentou e que teve que resolver em poucos segundos. Em instantes, cada um dos bombeiros pegou em uma das vítimas e tentaram sair. Após descerem dois andares, a mulher ficou inconsciente e teve que ser levada no colo.

Mais em baixo, socorreu um homem que estava com um capacete de bombeiro. "Isso não é bom! Por que ele tem isso?", questionou-se o bombeiro, percebendo depois que foi um colega seu que entregou o capacete e seu aparelho de respiração para um dos moradores. Esse bombeiro estava tossindo e sufocando, mas ainda assim preferiu ajudar os outros.

Enquanto eles desciam, o cenário ficava cada vez pior, e este bombeiro que fez este relato difícil ainda pensava se alguma equipe de bombeiros chegaria ao 23º andar e a essas supostas cinco vítimas, que ele sentia que deixou para trás. Assim que terminou a descida, ele correu procurando por ar fresco. Estava vivo, ajudou a salvar pessoas, mas não esqueceu o pesadelo que viveu nessa torre.