Embora a falta de alimento seja responsável pela morte diária de milhares de pessoas, principalmente no continente africano, um jovem casal norte-americano parece ter a solução para resolver a questão: substituir a comida pela ‘energia cósmica’.

De acordo com a reportagem do conceituado jornal britânico The Independent, de sexta-feira (16), Camila Castello, 34 anos, e o marido Akahi Ricardo, 36, desde 2008 aderiram a uma corrente filosófica chamada Respiratorianismo – confira a manchete.

Segundo eles, que transitam entre a Califórnia (EUA) e o Equador, a técnica baseada na respiração é suficiente para alimentá-los.

Publicidade
Publicidade

O casal jura comer apenas três vezes na semana e somente pedaços de frutas ou caldo de vegetais.

No entanto, às vezes, eles passam longos período se nutrindo apenas do que o universo tem a oferecer. “O casal afirmou ter esquecido o que é sentir fome, e Castello disse que só comeu cinco vezes ao longo da primeira gravidez”, comenta a jornalista Rachel Hosie.

No entendimento de Camila, a falta de conexão com o universo influencia na incapacidade dos indivíduos em subtrair o necessário para nutrir o corpo e a alma.

“Os seres humanos podem facilmente estar sem comida, desde que estejam conectados à energia que existe em todas as coisas e através da respiração", destaca.

Outra afirmação dos norte-americanos, difícil de acreditar, diz respeito ao fato de eles enfatizarem ter deixado de comer durante três anos.

Publicidade

A moça destaca que durante esse tempo, ela e o marido não ingeriram comida. Utilizaram apenas a técnica do Respiratorianismo “para encher a barriga”.

Atualmente, Camila diz fazer uso ocasional de alimentos. “Agora, só comemos ocasionalmente se estivermos em uma situação social ou se eu simplesmente quiser provar uma fruta", fala.

Com relação à primeira gravidez, a moça salienta que durante o pré-natal os resultados foram excelentes. Naquele período, lembra ela, na maior parte do tempo o oxigênio e a ‘energia cósmica’ foram seus principais alimentos.

"Meus exames de sangue durante os três trimestres foram impecáveis ​​e eu tive um bebe saudável", declara ao The Independent.

Camila, que tem um filho de cinco anos e uma filha de dois, revela ter comido somente cinco vezes, durante os nove meses da primeira gravidez.

"E eu sabia que meu filho seria alimentado o suficiente pelo meu amor e isso permitiria que ele crescesse saudável no meu ventre”, comenta.

Médicos assombrados com indiano há 70 anos sem comer

Em 2010, o caso do indiano Prahlad Jani, que foi submetido a duas semanas de estudos por médicos em um hospital do país, após afirmar estar há sete décadas sem beber ou comer, surpreendeu os cientistas.

Publicidade

Conforme reportagem da agência de notícias France Presse, durante 14 dias, o iogue barbudo ficou sem beber e comer. Além disso, ele também não defecou nem urinou. Vale ressaltar que câmeras vigiavam o homem em um quarto fechado, 24 horas por dia.

O neurologista Sudhir Shah, que acompanhou o experimento com mais 30 médicos, disse à imprensa da época, não compreender o fato de uma pessoa sobreviver durante duas semanas sem ingerir alimentos ou líquidos.

“Seguimos sem entender como sobrevive sem urinar ou defecar. Este fenômeno é um mistério", declarou.

Segundo o indiano, aos 8 anos ele foi abençoado por uma deusa, que permitiu que ele vivesse sem a necessidade de alimentos.

Abaixo, veja uma matéria sobre Prahlad Jani, produzida pela BBC Brasil. Ele foi assunto nos principais jornais de todo o mundo, em 2010. Depois, assista a um documentário (legendado em português) sobre o caso.

#Bizarro #Curiosidades #Saúde