Frankie Delgado era um menino de 4 anos que morreu por #afogamento seco, após uma semana em que foi a uma barragem, em Houston, no Texas (EUA). Ele já estava se sentindo mal há vários dias, tendo dores no estômago, vômitos e diarreia. Porém, os #Sintomas de uma virose são muito parecidos com aqueles que o menino estava tendo, levando seus pais a pensarem que era uma doença simples.

Frankie estava brincando na barragem quando se afogou, mas foi resgatado rapidamente, aparentando não ter mais problemas. A criança não demonstrou nenhum sintoma, de imediato. O pai do menino ainda disse que o filho brincou e se divertiu normalmente durante o resto do dia.

Publicidade
Publicidade

Frankie começou a se sentir mal na noite seguinte, quando passou a ter diarreia e vômitos. Porém, o menino já havia apresentado esses sintomas, antes do ocorrido na praia, por problemas no estômago, o que levou os pais a pensarem que o filho estava com os mesmos problemas de antes. Eles decidiram, então, cuidar dele em casa.

Os pais relatam que o filho apresentou melhora dos sintomas antes de voltar ao estado em que se encontrava, queixando-se também de dores no ombro. O pai do menino conta que, de repente, o filho se levantou e gritou de dor, dando seu último suspiro, deixando-o sem saber o que fazer.

Pouco tempo depois, Frankie já estava morto. Ao levarem a criança às pressas ao hospital, os médicos disseram aos pais que Frankie estava com os pulmões cheios de líquido, e que não havia mais nada que pudessem ter feito no momento em que ele acordou durante a noite.

Publicidade

#afogamento seco

Os médicos constataram que o menino estava com água em seus pulmões e ao redor do coração. O afogamento seco é um caso muito raro e, portanto, muito pouco conhecido. O afogamento acontece, normalmente, em crianças pequenas, por possuírem corpos pequenos.

Já no caso de Frankie, ele apresentava sintomas ocasionados pela água e que foram confundidos com os de uma virose. Isso se dá porque, ao contrário do afogamento comum, os pulmões não se enchem de água, fazendo com que a laringe da pessoa seja comprimida, bloqueando a entrada de ar.

A condição rara, conhecida como afogamento seco ou afogamento secundário, pode acontecer apenas com alguns suspiros que a pessoa dá na água. Neste caso, a água doce ou salgada chega aos pulmões, causando inchaço das vias respiratórias, levando ao edema pulmonar e à asfixia da vítima.

Os médicos ressaltam que os pais devem ficar sempre atentos, caso a criança quase se afogue. Isso, normalmente, gera o afogamento secundário, podendo levar à morte. Se a criança apresentar sintomas como mudanças de humor, tosse, dor no peito, dificuldades respiratórias e fadiga, após um dia depois da natação ou de ter ido à praia, é aconselhado procurar um médico, pois pode indicar um afogamento seco.