O atual presidente dos #EUA, Donald Trump, na última quinta-feira (1º) decidiu deixar de lado o apelo global e retirar seu país do Acordo de Paris para as mudanças climáticas previamente assinado pelo então presidente Barack Obama e outros 194 países. Trump nunca foi um grande admirador da luta climática, e já chegou a dizer em seu Twitter oficial que o #Aquecimento Global era uma invenção para que os EUA sucumbissem economicamente. Disse também ao assinar a saída do acordo que o atual documento trás desvantagens aos EUA em relação à outros países, bem como pretende interromper todos os esforços feitos até o momento.

Uma de suas polêmicas plataformas de campanha era a retirar imediatamente os EUA do acordo que, segundo ele, era prejudicial ao desenvolvimento do país, pois faria com que os Estados Unidos perdessem a corrida do crescimento em relação a outros países.

Publicidade
Publicidade

A saída do acordo previamente assinado não agradou o restante dos países que participam do mesmo, bem como pessoas de seu próprio país. O prefeito de Pittsburgh falou abertamente que pretende seguir as diretrizes impostas no acordo e que não pretende seguir o que seu presidente propõe.

O acordo de Paris

Assinado em 2015, durante a COP 21, reunião da ONU para mudanças climáticas, o acordo tem como objetivo claro que os países trabalhem para que o aquecimento global fique abaixo de 2ºC, também para que países ricos garantam financiamento aos países menos desenvolvidos para que eles atinjam a marca. O acordo deve ser revisto a cada 5 anos.

Barack Obama

O presidente Barack Obama, que assinou o acordo em 2015, prontamente se pronunciou sobre a decisão tomada por Trump, dizendo que lamenta muito que o atual governo tenha se unido a grupos de países que ignoram o futuro do planeta, bem como espera que os estados e cidades continuem dando um passo na luta pela diminuição do aquecimento global

Reações

Os governos de Itália, França e Alemanha lançaram uma nota respondendo a retirada dos Estados Unidos dizendo que o acordo não pode ser renegociado, pois ele sustenta os esforços para um fim do aquecimento global.

Publicidade

O atual presidente do Brasil, Michel Temer, também disse que se sente preocupado com o impacto negativo que esta noticia levará ao mundo.

A saída dos EUA do acordo de Paris tem consequências catastróficas para os esforços globais de controlar o aquecimento global. O país norte-americano é o maior produtor de gases do efeito estufa no planeta. #Donald Trump