Neste sábado (10), o jornal português “Correio da Manhã” noticiou que um emigrante português foi preso por ser suspeito do homicídio da ex-namorada. O crime aconteceu em Luxemburgo, país onde Marco da Silva vivia e teria supostamente raptado e assassinado Ana Lopes, com quem viveu uma relação pouco pacífica.

Em janeiro de 2017, o corpo de Ana Lopes, de 25 anos, foi encontrado carbonizado dentro do seu próprio carro. As autoridades fizeram a descoberta macabra na França, junto à fronteira com Luxemburgo, país onde a portuguesa vivia e trabalhava.

Marco da Silva, outro emigrante de 28 anos e ex-namorado de Ana Lopes, foi imediatamente apontado como um dos principais suspeitos do #Crime.

Publicidade
Publicidade

Ainda em janeiro, ele disse que não tinha nada a ver com o crime e que só queria encontrar o verdadeiro autor do crime para finalmente ter paz.

Na mesma entrevista, o jovem português afirmou que tinha um filho em comum Ana Lopes. No entanto, a criança nunca foi registrada com o seu nome.

Na época, o ex-namorado da vítima foi interrogado pelos investigadores que o visitaram em seu trabalho. Porém, depois de algumas horas de interrogatório, os policiais decidiram libertá-lo.

No entanto, na última quinta-feira (8), as autoridades de Luxemburgo acabaram por prender Marco da Silva. Ele é acusado de ter raptado, assassinado e ateado fogo ao carro da ex-namorada. A polícia acredita ainda que o emigrante português teria contado com a ajuda de um cúmplice, que ainda não foi encontrado.

O crime aconteceu na noite de 15 e janeiro, em Bonnevoie.

Publicidade

Ana Lopes, de 25 anos, saiu de casa para comprar comida para a sua irmã, mas só voltaria a ser encontrada no dia seguinte, na França, em Roussy-le-Village, uma vila que fica numa zona de mato. No banco do BMW estava um corpo completamente carbonizado. que um teste de DNA veio a confirmar como sendo o de Ana.

Entretanto, a porta-voz o Ministério Público, Diane Kleine, já comunicou que foi detido um suspeito relacionado com o crime. Marco da Silva já prestou depoimento perante um juiz, que ordenou que o emigrante português aguarde o julgamento em prisão preventiva.

A detenção acontece vários meses depois de vários amigos e familiares de Ana Lopes terem denunciado às autoridades a sua desconfiança para com Marco da Silva. Os dois tinham uma relação pouco pacífica e separaram-se em novembro de 2015.

Em uma entrevista, poucos dias depois do crime, o jovem revelou em uma entrevista que a sua ex-namorada tinha uma vida boêmia e traficava droga. #portugal #Emigração