A Justiça dos Estados Unidos acusou no mês passado pelo #assassinato de um bebê uma #enfermeira que pode ter matado outras 60 crianças pequenas entre o final dos anos 1970 e início dos 1980. Ela está presa por um desses crimes, mas pode ser colocada em liberdade em breve. Genene Jones cumpre atualmente duas penas de 99 e de 60 anos de #Prisão por ter matado uma menina de 15 meses, Chelsea McClellan, e pela tentativa de assassinato de um bebê de quatro semanas, Rolando Santos, a quem administrou um anticoagulante, segundo o Departamento de Justiça Criminal do Texas.

A enfermeira, que trabalhou em hospitais de San Antonio e Kerrville (Texas), cometeu ambos os crimes em 1982, pouco antes de sua prisão, e foi condenada em 1984.

Publicidade
Publicidade

Um grande júri agora acusa James do assassinato em 1981 de Joshua Sawyer, de 11 meses, com a injeção de uma dose letal de um medicamento contra a epilepsia.

A criminosa, que está cumprindo sua condenação em um presídio feminino em Gatesville –entre Austin e Dallas–, pode ser colocada em liberdade em março de 2018 por bom comportamento, graças às leis de redução de penas vigentes no momento de suas primeiras condenações.

Enfermeira pode ter matado até 60 crianças

A Sra. Jones trabalhou como enfermeira em um hospital no Texas nos anos e as autoridades suspeitam que ela tenha estado envolvida na morte de até 60 crianças. Seus julgamentos atraíram a atenção nacional.

Os registros médicos do hospital de San Antonio onde a enfermeira trabalhou foram destruídos acidentalmente nos anos posteriores às mortes da maioria desses bebês, dificultando a investigação para comprovar as suspeitas.

Publicidade

Nico LaHood, procurador do condado texano de Bexar, afirmou que "fará tudo que for possível" para identificar cada um dos recém-nascidos que Jones supostamente matou. "Não acho que ela olhe o mundo da forma mesma que as outras pessoas", acrescentou.

Em entrevista por telefone, LaHood disse que pediu investigação no condado de Bexar depois que assumiu o cargo em 2015. Eles examinaram todos os registros médicos que puderam encontrar e entrevistaram testemunhas oculares.

"Nossa intenção é mantê-la responsável por tantas mortes como as evidências apoiarão", disse LaHood. "Mas temos que ter a evidência. Então, continuaremos trabalhando dentro dos limites da lei para fazer isso. Estou bastante confiante de que não vamos ter 60 acusações sobre ela, mas obteremos tantos quanto a evidência apoiar ", acrescentou.

Talvez não seja possível evidenciar 60 mortes

No julgamento de 1984 para a morte de Chelsea McClellan, um toxicologista testificou pela acusação que o resíduo de succinilcolina, um poderoso relaxante muscular que é difícil de detectar, foi encontrado em amostras de tecido no corpo da criança, informou The Times.

Publicidade

Durante o julgamento, a mãe da criança, Petti, então com 28 anos, declarou que sua filha "ficou manca, como um boneco de pano, após a injeção intravenosa".

"Ela não estava respirando direito", disse a Sra. McClellan.

Se Jones, conhecida como "a enfermeira da morte", sair da prisão terá de usar um dispositivo GPS e não poderá ter nenhum tipo de contato com menores de 18 anos.

Além disso, será proibida de visitar um hospital a menos que esteja em busca de tratamento para si mesma. No entanto, as autoridades estão trabalhando para julgá-la novamente e para que receba outra condenação antes da data prevista para deixar a prisão.