De acordo com a agência Reuters, o Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo atentado terrorista do sábado (3) realizado em Londres, que resultou na morte de sete pessoas e deixou outras 48 hospitalizadas – 21 das quais ainda se encontram em estado crítico de saúde.

Segundo uma publicação feita no site da Amaq – agência de notícias controlada pelos terroristas, e muitas vezes usada justamente para divulgar a reivindicação de autoria de ataques – a organização jihadista afirmou que "um destacamento de combatentes do #Estado Islâmico executou o ataque de ontem em Londres".

Além de assumir a autoria do atentado, o Estado Islâmico utilizou sua conta no aplicativo de mensagens Telegram para pedir aos seus seguidores que realizem ataques "com caminhões, facas e armas" durante o mês sagrado muçulmano do Ramadã, que em 2017 se iniciou ao pôr do sol de 26 de maio e segue até o começo da noite do dia 24 de junho.

Publicidade
Publicidade

Terceiro ataque terrorista ao Reino Unido neste ano

Com o ataque de sábado, o Reino Unido já passou pelo terceiro ato terrorista somente este ano. Se somadas, as ações totalizam até o momento mais de 30 mortos.

O primeiro atentado do ano na Grã Bretanha ocorreu em 22 de março, quando Khalid Masood (52) – um cidadão britânico que se converteu ao islamismo – utilizou um carro para atropelar 24 pessoas que caminhavam pela Ponte de Westminster. Após realizar a investida da qual decorreram quatro mortes, Masood jogou o veículo contra as grades do Parlamento do Reino Unido, entrou pelo portão do Palácio de Westminster portando duas facas grandes e assassinou o policial Keith Palmer (48), que estava desarmado. Após a realização destes atos, o agressor foi abatido com um tiro.

No dia 22 de maio, o suicida Salman Abedi (22) confeccionou um explosivo improvisado e o detonou ao final de um show que a cantora americana Ariana Grande estava realizando em Manchester.

Publicidade

Seu ataque, perpetrado em um local que estava repleto de crianças e adolescentes, deixou 22 pessoas mortas e outras 59 ficaram feridas.

Noite de caos e terror

O atentado de sábado, de acordo com informações da Associated Press e da rede BBC, começou exatamente às 21h58min (horário local, 17h58min no horário de Brasília), quando o motorista de uma van que transportava mais dois indivíduos acelerou pela Ponte de Londres (London Bridge) e atropelou alguns pedestres.

O veículo acabou batendo na frente de um pub e foi abandonado pelos seus ocupantes, que se dirigiram a pé para o Borough Market, um conhecido mercado de frutas e vegetais que também abriga bares e restaurantes. Uma vez no local, os terroristas – que estavam usando coletes com explosivos falsos no intuito de causar pânico – passaram a esfaquear e apunhalar pessoas aleatoriamente.

A Polícia Metropolitana de Londres disparou ao todo 50 tiros, e conseguiu matar os três atacantes perto de um pub chamado Wheatsheaf em apenas oito minutos após ter sido acionada.

Publicidade

Um membro do público foi alvejado acidentalmente, mas não corre risco de morte.

Neste domingo (4), as autoridades fizeram uma incursão em Barking, local de residência de um dos terroristas que fica no leste de Londres, onde 12 pessoas suspeitas de envolvimento no atentado foram presas. #Terror #Europa