Aos seis meses de idade, o bebê Anyutka (Anya) caiu num sono profundo enquanto almoçava. Segundo a mãe, Alexandra Metyolkina, ela cochilou na cadeira e dormiu por quase sete dias seguidos. Não acordou nem para "ir ao banheiro".

De acordo com as recentes informações do jornal russo The Siberian Times, a mãe da criança, que reside em Pervouralsk, no dia seguinte encaminhou a filha ao hospital, onde ela passou quase 2016 inteiro internada para ser analisada por médicos, que, até o momento, ainda não compreendem o motivo da menina dormir por dias seguidos – veja a manchete.

Alexandra destaca ter pensado, inicialmente, que Anya, cuja idade não é mencionada na reportagem, tivesse entrado numa espécie de coma.

Publicidade
Publicidade

Contudo, no hospital Pervouralsk Children's, médicos a tranquilizaram. Disseram que a criança estava apenas dormindo.

Conforme a genitora, a primeira vez que ela visitou a filha no hospital, a menina despertou de forma abrupta e faminta. “Ela acordou de repente e deixou claro que queria comida”, disse.

No entanto, quando ela e o marido a levaram para casa, acreditando que o pior tinha passado, o inexplicável fenômeno voltou a acontecer. Anya adormeceu no dia seguinte e os pais não conseguiram despertá-la.

Segundo a russa, a filha passou longos períodos de 2016 inconsciente, acordando apenas por algumas horas. Além disso, sempre que ela é acometida pelo sono, apresenta febre, o rosto fica vermelho e seu corpo começa a tremer.

Possível diagnóstico

A menina, que ainda continua internada no hospital, onde é monitorada por uma equipe médica, no ano passado ficou apenas quatro dias em casa.

Publicidade

Conforme os profissionais, ela é portadora de uma inusitada doença, chamada “Hypersomnia, de origem não clara”, cuja causa permanece desconhecida.

Os responsáveis pelo tratamento da garota notaram que, quando ela dorme por dias seguidos, seus batimentos cardíacos e respiração diminuem drasticamente, assim como acontece com os ursos em estado de hibernação.

Alexandra também acentua o fato dos médicos pensarem, inicialmente, na hipótese da criança ter meningite ou encefalite. Porém, após exames, descobriram que o cérebro e o sistema nervoso de Anya eram normais.

Ao realizarem exames no coração, afim de detectarem anomalias congênitas, os profissionais também observaram que o órgão não apresentava problemas.

Até mesmo a chance de Anya sofrer algum tipo de epilepsia foi descartada. "Houve dezenas de outros [exames], incluindo aqueles em doenças genéticas, mas todos os resultados foram negativos. Os médicos chegaram à conclusão de que é um início de epilepsia. Mas os testes não provaram isso”, contou Alexandra ao The Siberian Times.

Publicidade

Doença do sono

A genitora salienta que quando a filha dorme é impossível acordá-la. Ela não vai ao banheiro, come ou tampouco ingere líquidos. Além disso, a temperatura corporal cai para 35°C e seu pulso diminui.

Embora a patologia responsável pelos sintomas da criança ainda seja uma incógnita, a #Medicina já identificou uma incomum condição, cujos pacientes, na maioria homens, apresentam características semelhantes às de Anya: síndrome de Kleine-Levin (KLS).

Conforme os estudiosos, a KLS é uma doença neurológica rara e complexa, ainda pouco compreendida, caracterizada por períodos recorrentes de quantidade excessiva de sono, comportamento alterado e uma compreensão reduzida do mundo.

Entretanto, pesquisadores argumentam que esta condição dificilmente é apresentada por crianças tão jovens quanto Anya. #mistério #Curiosidades