Em Portugal, um #Incêndio sem precedentes vai destruindo tudo, na região de Leiria, e fez já 62 vítimas mortais, um número que pode subir mais ainda, se agravando o cenário de catástrofe. O incêndio começou na tarde de sábado (17), possivelmente por um fenômeno natural, depois de uma trovoada seca, mas continua forte e ameaçando casas, florestas e vidas humanas, quando as temperaturas continuam rondando os 40º. Enquanto algumas pessoas morreram, tentando fugir das chamas, outras só desejavam entrar no foco do incêndio, para tentar salvar as suas famílias, como aconteceu com um jovem, que se revelou desesperado por não poder ajudar os seus #pais, presos no meio das chamas.

Publicidade
Publicidade

Um dia depois de ficar conhecida a tragédia, as identidades das vítimas vão sendo conhecidas, e já há a confirmação de quatro crianças em meio a elas. Mais de 30 pessoas morreram carbonizadas em seus carros, quando tentavam fugir e foram apanhados no meio de duas frentes do fogo. Outros morreram por inalação de fumaça, em uma tragédia de números desoladores. 62 mortos, 62 feridos, dez em condição crítica, incluindo alguns bombeiros.

O incêndio se mantém ativo, e algumas pessoas podem estar ainda dentro de suas casas, mortas, presas em aldeias mais afastadas, onde ainda ninguém conseguiu chegar. Foi o que aconteceu com os pais de um homem, que falou com o jornal Expresso. Depois de ouvir as notícias dessa tragédia, ele saiu procurando pelos pais. Quando chegou próximo da aldeia, ele encontrou a estrada principal cortada.

Publicidade

Pouco depois, se emocionou e contou para o repórter que tinha a certeza de que seus pais estavam mortos em casa, mas que tudo o que ele queria era ir ter com eles, e tirá-los de lá. “Estou aqui preso. Tenho meus pais mortos em casa, mas não consigo chegar”, disse o jovem, desolado com essa tragédia.

Além de todos os mortos e feridos, o rastro de destruição é muito grande, com 150 pessoas desalojadas, depois de várias casas e carros completamente arrasados.

O governo português declarou, neste domingo (18), três dias de luto nacional, mas Leiria continua precisando de ajuda. A Espanha já enviou auxílio de meios aéreos, e a França vai fazer o mesmo, nesta segunda-feira. A solidariedade tem sido muita, e já foram criadas várias formas para ajudar as vítimas, com campanhas de angariação de fundos. Os populares estão se mostrando inexcedíveis e até já obrigaram o Ministério da Administração interna a pedir para não levarem mais comida e água, porque já não havia espaço para guardar tudo que estava chegando.

Publicidade

Várias mensagens de solidariedade estão chegando ao país, de vários chefes políticos. Michel Temer foi um dos primeiros, mandando um abraço solidário ao "país irmão", através da rede social Twitter.

Tudo indica que o incêndio se iniciou com uma trovoada, que atingiu uma árvore. A polícia judiciária portuguesa já levou a árvore atingida, e se aguarda por um relatório final, para confirmar as suspeitas. Alegadamente, a árvore começou ardendo e as chamas se propagaram por várias aldeias, em uma região de muita florestação. No entanto, no momento, o mais importante será tratar os feridos, ajudar as famílias, e travar o incêndio que continua colocando vidas em perigo.

O país vai continuar de luto. #Filhos