Uma investigação está sendo levada a cabo em Blackburn, cidade do condado de Lancashire, no Reino Unido, para determinar as circunstâncias em que a adolescente Megan Hoyle, de 14 anos, pôs um fim à própria vida depois de enviar uma tocante mensagem de texto a um amigo próximo.

Quando ela tinha 12 anos, foi violentada sexualmente por um rapaz mais velho. Desde então, Hoyle vinha tendo dificuldades para lidar com todo o sofrimento que a experiência lhe causara. Informações avaliam que recentemente, após a sentença do criminoso ter sido reduzida, a garota estava se sentindo pior.

Mensagem comovente precedeu suicídio

Segundo informações, a jovem ligara antes de se suicidar para o amigo Christopher Cozen.

Publicidade
Publicidade

Ela estaria soluçando e era possível ouvir o som de pílulas sendo tiradas de um pacote. Depois, ela teria mandado uma mensagem de texto em que dizia que o amigo deveria deixá-la morrer em paz e não deveria chamar ninguém, nem mesmo uma ambulância. Ela também teria dito que sentia muito por não ter sido forte o bastante para continuar vivendo.

Mais tarde, a garota foi encontrada pela mãe, Wendy Charnley, desmaiada no chão da sala da residência em Blackburn. Segundo a senhora Charnley, antes do ataque sexual de que foi vítima, a moça, aluna do Colégio Católico Romano São Beda, era alegre e cheia de vida. Depois do crime, contudo, ela se tornou arredia, irritada e estava tendo problemas nos estudos. Para piorar a situação, a redução da sentença do agressor a fez sentir que ele havia escapado basicamente impune.

Publicidade

Abuso sexual seria a causa do suicídio

A tragédia aconteceu no dia 20 de fevereiro deste ano. Depois do fim de seu expediente, a mãe de Hoyle recebeu uma chamada do pai da garota, que disse que havia recebido uma mensagem estranha. A jovem vinha falando à mãe que não se sentia bem e não estava indo muito bem na escola. Embora ela não tivesse falado especificamente em se matar, ela chegou a citar que queria que todos os seus problemas desaparecessem. A mãe ainda contou que ficou irritada ao ouvir isso e fez a filha prometer que não faria nada tolo.

O amigo ao qual a adolescente dirigiu suas últimas palavras disse que ficou em pânico com a situação. Ele não conseguia entender o que a garota soluçando dizia, mas conseguiu ouvir o barulho das pílulas sendo retiradas do invólucro. A mensagem de texto que ela enviou logo depois de encerrar a conversa era assustadora.

Cozen diz que tentou entrar em contato com ela, com a família dela e com uma amiga dela através do Facebook. Não foi mencionado durante a audiência de investigação que pílulas a jovem havia consumido - sabe-se, porém, que perto de Hoyle foram encontrados pacotes de remédios prescritos para sua mãe.

Publicidade

O legista Michael Singleron disse que a suicida consumiu uma grande quantidade de pílulas com o objetivo de pôr fim à sua vida. O profissional acrescentou que, depois de vinte e três anos, ele irá se aposentar e, algumas das 40.000 mortes com que lidou profissionalmente irão acompanhá-lo pelo resto da vida. A de Hoyle é uma delas.

Ele disse que o texto deixado pela moça o comoveu e é sinal de que ela era muito inteligente e articulada. A decisão da família de, em meio à dor devastadora, doar os órgãos foi definida pelo médico como inspiradora. #Estupro #Emocionante