Um homem passou 17 anos na #cadeia por um crime que não cometeu. Ele foi finalmente libertado depois que a #Polícia encontrou o verdadeiro criminoso, que realmente se parece muito com ele. Richard Anthony Jones, de Kansas City, nos Estados Unidos, foi solto na quinta-feira (8), porque um juiz declarou que não havia mais evidências suficientes para condená-lo.

Jones foi preso por assalto à mão armada em 1999, tendo por base da sua condenação um testemunho ocular. Durante uma nova audiência em seu caso, as testemunhas já não foram capazes de afirmar, com certeza, se era um ou outro o criminoso, por sua semelhança ser tão grande e, ainda para mais, os dois compartilhavam o mesmo primeiro nome, Ricky.

Publicidade
Publicidade

O juiz pediu a libertação de Jones porque não haviam evidências físicas, de DNA ou de impressão digital que o ligassem ao crime. Além disso, Jones morava do outro lado do Kansas, enquanto que o verdadeiro criminoso vivia na mesma área onde o incidente ocorreu. "Não acredito na sorte, acredito que fui abençoado", disse Jones, em declarações citadas pelo jornal britânico Daily Mail.

Como ele conseguiu provar sua inocência

Jones fez várias apelações de seu caso várias na #Justiça, mas foi sempre em vão, enquanto ele estava cumprindo sua pena de prisão de 19 anos. No entanto, há dois anos, ele ouviu falar sobre um homem na prisão que se parecia exatamente com ele e até compartilhava seu primeiro nome.

Percebendo que esta poderia ser a chave para sua liberdade, ele entrou em contato com o Midwest Innocent Project, que é uma organização sem fins lucrativos que fornece serviços legais para os condenados injustiçados, e pediu ajuda para se defender com base nessa nova prova.

Publicidade

O advogado disse que ficou incrédulo com as semelhanças entre os dois e só podia avançar com a sua defesa. Durante o novo julgamento, Jones reiterou seu álibi que estava com sua namorada e sua família no momento em que a vítima informou que foi roubada em um parque.

No tribunal, o juiz voltou a chamar as testemunhas e quando viram os dois Rickys um ao lado do outro, elas não foram capazes de afirmar, com certeza, qual deles era o criminoso. Jones agora está se habituando à vida após a prisão e diz que ele está feliz por voltar com seus filhos.

"Busco o respeito dos meus filhos. Foi um tempo difícil, mas agora eles estão em uma idade em que podem entender", disse Ricky Jones.

O homem não guarda mágoas e diz que compreende o erro da vítimas e das testemunhas depois que viu o verdadeiro criminoso. Ele mesmo achou que os dois eram muito parecidos e agora tudo fez sentido para ele.

O advogado de Jones lamenta, no entanto, que a polícia tenha colocado suspeitos muito diferentes da imagem de Jones, o que fez com que as testemunhas cometessem esse erro.

Publicidade

Veja as fotos e confirme as semelhanças. Richard Anthony Jones, que ficou preso por engano por 17 anos, é o da direita: