O #Incêndio que ocorre na região de Leirinha, próximo a Coimbra, teve início por volta das 15h de sábado (11h em Brasília). De acordo com as últimas informações oficiais, pelo menos 61 pessoas morreram e 27 ficaram feridas, nesta que já é considerada a maior tragédia dos últimos 50 anos em #portugal.

Muitas das vítimas tentaram usar as rodovias da região para escapar e acabaram carbonizadas em seus carros. Sobreviventes descreveram cenas de horror, com árvores em chamas caindo na estrada, muita fumaça e veículos batendo.

Causa do incêndio

Inicialmente, chegou-se a pensar na hipótese de que o incêndio teria sido criminoso.

Publicidade
Publicidade

Esta possibilidade, entretanto, já foi descartada.

O primeiro-ministro português, Antonio Cósta, afirmou que o incêndio foi causado por trovoadas secas, que são tempestades que produzem relâmpagos, nas quais a precipitação evapora antes de chegar ao solo. Neste caso, o clima seco e os ventos fortes teriam feito com que as chamas se espalhassem rapidamente.

A Polícia Judiciária (PJ) afirmou ainda que já conseguiu determinar a origem do incêndio, tendo inclusive localizado a árvore que foi atingida por um raio.

Luto nacional

O governo português decretou três dias de luto nacional.

O presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, afirmou que partilha do luto de Portugal. Na mensagem que enviou ao chefe de estado português, o presidente alemão declarou: "Caso seja necessário o apoio da Alemanha, o Governo Federal já o colocou à disposição".

Publicidade

Frentes de ação

As últimas informações dadas pelo secretário de estado Jorge Gomes são de que existem ainda quatro frentes de incêndio ativas. Em duas destas, os bombeiros estariam conseguindo ganhar terreno, enquanto as demais estariam em situação mais crítica.

Cerca de 900 bombeiros trabalham no combate ao fogo e 40 enfermeiros já se ofereceram como voluntários para ajudar as vítimas do incêndio.

Solidariedade

O técnico de futebol português André Villas-Boas, publicou uma foto em sua conta no Instagram e anunciou que doaria 10 euros por cada like que a sua publicação sobre o incêndio de Pedrógão Grande recebesse. Algumas horas depois, André Villas-Boas, de 39 anos, atualizou a mensagem, escrevendo: "O meu muito obrigado a todos os que contribuíram na minha página em favor das famílias das vítimas da tragédia de Pedrógão Grande. Amanhã serão transferidos 100 mil euros em apoio às mesmas. Força Portugal".